Brincadeira tem história

-

Brincadeira tem história

Esta é a nona de uma série de 12 oficinas baseadas nos Encontros de Estudos em Arte-educação e Experiências Híbridas na Formação de Educadores da Infância. Publicada originalmente no site Território de Formação em Arte (Impaes — Instituto Minidi Pedroso de Arte e Educação Social)

O que é?

Prática de consciência corporal e brincadeiras tradicionais

Materiais

Computador, tablet com acesso à internet; tapetinhos; barbante.

Finalidade

Explorar as linguagens expressivas das crianças, por meio de trava-línguas e das brincadeiras cama de gato e elefante colorido.

Expectativa

Desenvolver a expressividade, a comunicação e a sociabilidade entre as crianças por meio do brincar espontâneo.

Público

Crianças da educação infantil e primeiros anos do ensino fundamental

Espaço

Sala de aula, sala de atividades, biblioteca, centro cultural, ou ambiente on-line.

Duração

2 encontros de 1h30 cada


Início de conversa

Na Educação Infantil há lacunas na justificativa e nos fundamentos para o brincar na infância. É importante ampliar esses conteúdos, situando o brincar como elemento vital de aprendizado expressivo e estruturante.

O brincar espontâneo precisa ser ainda mais valorizado entre educadoras e educadores, que acabam se responsabilizando pelas escolhas de materiais e pela organização geral das brincadeiras. 

Base Nacional Comum Curricular (BNCC): habilidades EI02EO06; EI02ET07; EI02CG01; EI02CG05.

Nesta oficina, sugerimos atividades que envolvam o brincar espontâneo por meio de trava-línguas e das brincadeiras cama de gato e elefante colorido.


Na prática

Inicie a oficina com um mapeamento das características do grupo. Peça a cada criança que expresse seu estado ao chegar à aula ou ao encontro em uma palavra. Pergunte:

Como você está chegando ao encontro/à aula hoje?

Escolha um lugar seguro para as crianças ficarem descalças ou disponibilize tapetinhos. Oriente-as a formar um círculo. Com elas, faça respirações e expirações para liberar tensões e acalmar a mente. 

Ambiente remoto
Peça às crianças que façam a atividade corporal sobre um tapetinho em casa. Explique previamente como serão feitas as respirações. À medida que você orientar os movimentos respiratórios, aguarde alguns minutos para que cada criança repita o movimento. 
Nesta oficina, é interessante que a criança esteja acompanhada de um adulto ou uma criança mais velha para praticar as brincadeiras, especialmente a cama de gato.

Pergunte:

Como você está se sentindo agora?

Deixe que as crianças se expressem livremente. Peça que digam quais as brincadeiras de que mais gostam.

🐱 Cama de gato

Pergunte se elas conhecem a cama de gato. 

Brincando de cama de gato

Divida a turma em duplas e disponibilize pedaços de barbante com as pontas unidas por um nó.  Explique que cada criança deve trançar o barbante entre os dedos, formando um “X”. O colega pegará o “X” e fará um novo trançado. 

Se julgar necessário, demonstre a brincadeira com uma das crianças. Circule entre as duplas. Deixe que brinquem livremente. 

Ambiente remoto
Apresente o vídeo com as instruções da cama de gato. Oriente a criança a fazer a brincadeira com um adulto ou outra criança em casa

🤪 Trava-língua

O trava-línguas é uma brincadeira que contribui para o desenvolvimento da dicção na Educação Infantil. Apresente alguns trava-línguas:

A abelha abelhuda abelhudou as abelhas.
O bode bravo berra e baba na barba.
Dorme o gato, corre o rato e foge o pato.
José junta jabuticabas na jarra.
Pedro pregou um prego na porta preta.
O rato roeu a roupa do rei de Roma.
Sabia que o sabiá sabia assobiar?
Alô, o tatu taí? Não, o tatu não tá.

Você também pode ouvir com eles esta canção em ritmo de RAP, do Mestre P:

“É hora de brincar”, faixa do CD-livro Pé de palavra

Baixe a letra da canção.

Promova a participação coletiva, deixando as crianças brincarem.
Se julgar apropriado, apresente uma imagem com os elementos dos trava-línguas (abelha, bode, gato, rato, pato, jabuticaba…) e explore as cores e as formas ou traga uma canção de seu repertório em que apareçam esses elementos.

🐘 Elefante colorido

Fale para as crianças:

Elefante colorido.

Elas perguntam:

Que cor? 

Responda:

Eu quero a cor…

Indique uma cor. As crianças devem buscar objetos que tenham a cor indicada. Elas têm 10 segundos para apresentar o objeto. Enquanto isso, você bate palmas em contagem regressiva. Ganha quem localizar mais objetos. A cada cor, oriente-as a contar o número de objetos localizados. 

Ambiente remoto
Promova a brincadeira Elefante colorido. Oriente as crianças a buscar a participação de um adulto ou de outra criança em casa


Para inspirar

O brincar é a linguagem da criança, é a forma como a criança aprende, conhece e experimenta o mundo, o outro e a si mesma.

Resgate brincadeiras e construa um repertório de brincadeiras. As educadoras mais velhas costumam ser guardiãs das brincadeiras e dos brinquedos tradicionais e podem ser uma fonte de aprendizado e troca. 

Sugerimos dois vídeos com o educador Francisco Marques. No vídeo Apresentação de Chico dos Bonecos, ele apresenta na prática as brincadeiras com as crianças e os pais.

Em Percursos da arte na educação, Chico dos Bonecos reflete sobre o papel da brincadeira na Educação Infantil e para além dela. 

Assista também ao documentário Caramba, carambola: o brincar na escola! Produzido pelo Itaú Social com base no projeto Brincar (Cenpec), é uma fonte de depoimentos de educadoras e pesquisadoras da infância e de imagens de contextos considerando o brincar não apenas como linguagem da infância, mas também como forma de estar em contato consigo.


Veja também