Tirando de Letra: professor(a) e estudante, parceria especial

-

Tirando de Letra: professor(a) e estudante, parceria especial

Dois novos vídeos sobre alfabetização revelam a importância das(os) educadoras(es) na mediação com o aprendizado e dos cuidados na hora de pensar as atividades escolares
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Durante a pandemia, o que as(os) educadoras(es) já sabiam ficou evidente para as famílias: a importância da mediação. Afinal, no contexto em que as(os) estudantes estão impossibilitadas(os) de ir à escola e precisam fazer todas as suas tarefas escolares em casa, seja de forma impressa ou virtual, o apoio que elas(eles) têm ao lado para ler o enunciado, explicar o exercício, tirar dúvidas é o pai, a mãe, a avó, a irmã mais velha. 

No caso das crianças em idade de alfabetização, por exemplo, esse suporte foi indispensável para manter um mínimo de vínculo com a escola – e exigiu muito dos familiares. Nesse sentido, houve muito aprendizado, do lado das(dos) educadoras(es) e do lado das famílias. 

Mas para quem ainda não entendeu essa importância, o vídeo de apenas um minuto intitulado “Eu e você, você e eu”, da série Tirando de Letra, foca justamente nessa questão. 

Maria Alice Junqueira, coordenadora de projetos do Cenpec, explica quem pode ser esse(a) mediador(a) da aprendizagem e quem é ideal para exercer esse papel:

Enfocamos no vídeo que o aprendizado é uma construção social e que, portanto, a mediação é um fator importante, pois muitas vezes, com a ajuda de um(a) parceiro(a) mais experiente, a criança consegue realizar aquilo que não seria capaz de fazer sozinha.  Enfatizamos que as(os) professoras(es) são as parceiras(os) mais especiais, pois sabem o que cada estudante é capaz de realizar e conseguem planejar grupos ou duplas de trabalho que sejam produtivas. Ou, em outros momentos, propor perguntas ou desafios ajustados à capacidade de cada um(a). Mas mostramos também que essas(es) parceiras(os) mais experientes, muitas vezes, podem ser um familiar, um amigo ou um colega.”

Maria Alice Junqueira

Daí a necessidade de valorização docente, como apresentada na reportagem publicada na semana passada no Portal Cenpec sobre o assunto. A notícia aborda a questão da valorização docente pelo olhar de quatro educadoras, de diferentes etapas de ensino e regiões brasileiras, e lança a campanha #OrgulhodeEnsinar, que deve durar todo o mês de outubro nas redes sociais do Cenpec, em homenagem ao Dia das(os) professoras(es).


Olhar atento ao enunciado

Ao mesmo tempo que muitos pais tiveram de se adaptar à nova rotina de estudo em casa, as(os) professoras(es) também precisaram aprender novas formas de abordar e apresentar o conteúdo às(aos) estudantes – e seus familiares.

Pequenos gestos de atenção podem fazer uma grande diferença nesse processo. Por exemplo: já parou para pensar se o enunciado do seu exercício é claro e objetivo, de fácil entendimento? Maria Alice conta que, em contato com famílias atendidas pelos projetos do Cenpec, ela ouviu relatos de muitos familiares que não conseguiam ajudar as crianças no estudo porque não entendiam o que era exigido na tarefa. 

Pode parecer um detalhe, mas é tão importante e faz tanta diferença que esse é o tema do vídeo “Proposta clara, proposta entendida”:

Maria Alice explica:

Nesse vídeo, tratamos da comanda de uma atividade. Nem sempre nós, educadoras(es), refletimos sobre a importância de elaborá-la de forma cuidadosa para que haja um bom entendimento da proposta. Especialmente no período da pandemia essa foi uma questão sensível, pois muitas vezes os familiares tinham dificuldades para compreender o que estava sendo pedido na tarefa. Para garantir que o objetivo de aprendizagem seja alcançado, é preciso que a consigna, ou comanda, seja objetiva, breve e clara. Ao produzi-la, é interessante que as(os) professoras(es) se coloquem no lugar da criança e dos pais para certificar-se de que está compreensível.”

Maria Alice Junqueira

Série Tirando de Letra

As duas produções audiovisuais fazem parte da série Tirando de Letra, que busca trazer dicas simples e diretas a educadores(as) e familiares, fortalecendo essa ponte e esse vínculo criado entre escola-família durante a pandemia.

A série nasce da experiência da pandemia vivida em dois projetos do Cenpec: o  Letra Viva Alfabetiza e o Letra Móvel. O primeiro acontece em cinco municípios do Vale do Ribeira (SP) e tem como objetivo qualificar processos e práticas de alfabetização e letramento por meio de formação de rede. O segundo é uma iniciativa da Comunidade Cenpec em parceria com a Fundação Tide Setubal para apoiar crianças do 1o ano ensino fundamental de uma escola da periferia da capital paulistana por meio de chamadas de vídeo de WhatsApp durante a pandemia.

Ao todo, 16 pílulas serão publicadas no Portal Cenpec e nas redes sociais da organização. Algumas tratam de temas como organizar o espaço em casa para realizar as tarefas ou como ajudar as crianças a estudar; outras abordam conteúdos dos quatro eixos da BNCC Língua Portuguesa – anos iniciais – de maneira que as famílias também possam compreender. 


Receba e compartilhe pelo WhatsApp

A cada semana, dois novos vídeos estarão disponíveis. Como a ideia é permitir que eles cheguem bem longe, atingindo muitas(os) educadoras(es), coordenadoras(es) e familiares de crianças em alfabetização, também é possível receber os vídeos pelo celular.

    A partir da próxima semana (19/10), as videodicas serão compartilhadas pelo grupo “Vídeos Tirando de Letra”, no WhatsApp, criado exclusivamente para compartilhar os vídeos da coleção.

    Para isso, basta responder ao formulário a seguir, informando que deseja participar, e você receberá acesso ao grupo.

           
    Acesse o formulário
           

Você também pode acessar os vídeos no Telegram do Letra Viva ou no YouTube do Portal Cenpec.

Não tem Telegram? Saiba como baixar e acessar.


Veja também