Dia Nacional da Ciência: materiais para celebrar a data

-

Dia Nacional da Ciência: materiais para celebrar a data

Conheça iniciativas que fazem o aprendizado de Ciências se tornar mais divertido, inclusivo e inovador
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Duas datas são celebradas no dia 8 de julho: o Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador Científico. As duas efemérides são uma homenagem à criação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 1948.

Em tempos em que o negacionismo científico está em alta, é importante comemorar a data e valorizar o trabalho de pesquisadores(as) e cientistas. Uma dessas conquistas, por exemplo, é a eleição da primeira mulher presidente da Sociedade Brasileira de Física (SBF) em 55 anos de existência: Débora Peres Menezes, professora do Departamento de Física da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Ciência&Mulher SBPC
Foto: reprodução

A baixa representação de mulheres nas áreas de Ciências da Natureza é uma das preocupações da SBPC, tanto que em 2016 lançaram o portal Ciência & Mulher. O site estimula e dá visibilidade à produção científica de mulheres nas ciências, trazendo estudos, pesquisas, matérias e artigos produzidos por ou sobre mulheres.

De acordo com o Instituto de Estatísticas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UIS-Unesco), menos de 30% dos pesquisadores(as) no mundo hoje são mulheres – sendo que elas compõem metade da população mundial.

Saiba mais sobre a importância de incentivar a presença de mulheres nas ciências


App Iara: aventuras na aprendizagem de Biologia

No processo de criar um material inclusivo que falasse sobre os biomas brasileiros, as estudantes do curso de Licenciatura em Biologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Daniela Mayumi Kita e Mariana Pupo Cassinelli perceberam que as opções disponíveis atualmente sobre o assunto são escassas. Principalmente se o público-alvo são crianças. Daí a ideia do aplicativo Iara ser tão interessante – tanto para os pequenos quanto para docentes que queiram utilizar o material em sala de aula.

O aprendizado acontece de forma lúdica, seguindo as aventuras de Iara, que percorre todos os cinco biomas brasileiros (Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal) em uma missão para salvar a magia do seu povo originário.

Conforme passa por esses biomas, o app apresenta animais e plantas típicas da região, e os(as) usuários(as) fazem um quis ao final de cada um deles. Todo o site possui recursos de acessibilidade, como ressalta Mariana:

Mariana Pupo Cassinelli app Iara ensino de ciências
Foto: arquivo pessoal

Acreditamos que é muito importante, para qualquer ser humano, conseguir ter essa conscientização e sensibilização sobre o meio ambiente e ter educação ambiental. Pensando nisso, criamos esse app para levar o assunto ao maior número de pessoas possíveis, por meio de recursos de Libras e audiodescrição.”

Mariana Pupo Cassinelli
Daniela Mayumi Kita app Iara ensino de ciências
Foto: arquivo pessoal

O conteúdo é voltado para crianças de 8 a 10 anos e apresentado de maneira que elas possam utilizar o aplicativo de forma autônoma. Mas há também um Guia do Usuário, que traz possibilidades de uso pedagógico do material, explica Daniela.

Como futuras professoras, nós começamos a ter várias ideias conforme estávamos elaborando o app. Compilamos essas informações e propostas nesse documento, para que o aplicativo pudesse ser usado de diferentes maneiras por educadores(as).”

Daniela Mayumi Kita

Para tirar o projeto do papel, as estudantes contaram com a ajuda de 28 colaboradores(as), entre desenvolvedores(as), audiodescritoras, consultores(as), intérpretes de Libras, animadores(as) etc. Ainda que o projeto tenha se iniciado antes da pandemia, em 2019, o seu lançamento no momento em que o ensino remoto segue em vigor devido às escolas fechadas e educadores(as) tem recorrido à internet e à tecnologia para chegar aos(às) estudantes é oportuno.

Nesse momento, temos percebido como materiais didáticos relacionados com a tecnologia podem ajudar muito no ensino. Nós nos sentimos, de certa forma, contempladas nesse contexto. Acreditamos que o app pode ter um alcance maior justamente porque agora nos demos conta de fato da importância da tecnologia na educação.”

Mariana Pupo Cassinelli

Conheça o app Iara


Guia Prático Inovações no Ensino de Ciências

Lançado no mês passado, este guia traz reflexões e sugestões de práticas pedagógicas para tornar a experiência de ensino-aprendizagem mais significativa nas áreas de Ciências da Natureza e da Matemática.

O guia é organizado em uma sequência da reflexão à ação e destaca estratégias para que professores(as) e estudantes trabalhem de forma colaborativa em projetos baseados em demandas e desafios reais.  Ele traz ainda conceitos e sugestões de práticas pedagógicas para inovar nas aulas e atividades de Ciências.

O Guia Prático Inovações no Ensino de Ciências se baseia no conhecimento acumulado ao longo dos oito anos do Prêmio Respostas para o Amanhã – iniciativa brasileira do Solve for Tomorrow, programa global de cidadania corporativa da Samsung que, no Brasil, tem coordenação geral do Cenpec.

Baixe o Guia Prático Inovações no Ensino de Ciências

O Prêmio desafia estudantes do Ensino Médio da rede pública de ensino a desenvolverem soluções para demandas locais por meio da abordagem STEM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática). Estudantes, docentes e escolas responsáveis pelos projetos serão contemplados(as) com certificados e prêmios, conforme cada etapa de seleção.

As inscrições para a 8ª edição estão abertas até dia 19/7. Não perca a oportunidade de desenvolver projetos científicos com seus(suas) estudantes, com o apoio de especialistas e ainda concorrer a prêmios!

Inscreva-se na 8ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã


Projeto AnimaFísica

O que são quarks? E léptons? Eles são partículas elementares, que formam o átomo e toda matéria do universo. É para explicar esses e outros conceitos da Física de Partículas de forma lúdica para o público geral que o Projeto AnimaFísica nasceu. Iniciativa do Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o projeto disponibiliza animações, vídeos e podcast que tratam de diferentes assuntos relacionados à temática.

No primeiro curta, chamado “Quarks & Léptons”, a jovem Mari e o seu pai, o professor Pedro, apresentam a visão atual do modelo atômico, que está prevista na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O segundo, lançado em junho de 2021, trata dos raios cósmicos e da importância do trabalho de cientistas como o brasileiro Cesar Lattes e Gleb Wataghin, que dá nome ao Instituto de Física da Unicamp.

Saiba tudo sobre o Projeto AnimaFísica


Veja também