CENPEC Educação contribui para o debate nacional

-

CENPEC Educação contribui para o debate nacional

Da formação de professores à educação integral, CENPEC Educação participa de debates e eventos em todo o País
Imprimir

Respeitando a visão de ser reconhecido como referência na área da educação e de incidir nas políticas públicas educacionais, o CENPEC Educação participou de uma série de debates, reportagens e eventos ao longo do mês de outubro/2019. Confira.

Aproximação entre família e escola

Beatriz Cortese
Beatriz Cortese.

A apresentação do trabalho pedagógico da escola às famílias e a aproximação feita por gestão e por professores para que pais e mães se tornem mais próximos do processo de aprendizagem de seus filhos foram temas de duas reportagens do portal Gestão Escolar, que contaram com a participação de Beatriz Cortese, gerente de Tecnologias Educacionais em Construção do CENPEC Educação.

Na primeira reportagem, publicada no dia 10/10, Cortese falou sobre a importância de professores apresentarem as informações pedagógicas com clareza às famílias.

Na segunda, publicada hoje (29), a especialista explica que o primeiro passo para aproximar a família da escola deve partir desta última.

Pouquíssimas são as famílias que não se importam com a escola e que não ligam para os filhos. O que acontece com a maioria das famílias é que elas não sabem o que fazer com as demandas que chegam para elas das escolas.”

Beatriz Cortese

Leia a reportagem “Apresentação do trabalho pedagógico aproxima a família da escola”

Leia a reportagem “Como fazer das famílias aliadas no ensino”

Saiba mais

Educação para todos – e de todos

Nazira Arbache
Nazira Arbache.

Realizado na última semana, entre 23 e 25/10, o I Seminário Internacional de Educação Não Formal ocorreu no auditório da Fundação Florestan Fernandes (FFF), em Diadema (SP), com a proposta de discutir a importância de diferentes atores na educação e trocar experiências entre países.

O evento foi uma realização do Instituto Matéria Rima em parceria com Circo Tapias Voadores, Faculdade de Diadema (FAD) e Casa da Economia Solidária da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Diadema – e contou com apoio da Secretaria de Educação de Diadema, Itaú Social e CENPEC Educação, que foi representado pela assessora de Relações Institucionais, Nazira Arbache.

Confira a notícia no portal de notícias ABC do ABC

No mesmo dia 23, o CENPEC Educação também esteve representado na pessoa da conselheira Maria Alice Setubal na 8ª reunião do Conselho Consultivo da Universidade de São Paulo (USP), que teve como foco a discussão sobre a autonomia universitária.

Maria Alice Setubal
Maria Alice Setubal.

Leia mais no Jornal da USP

Educação integral em foco

Por que as escolas estaduais de São Paulo resistem à educação integral? Essa foi a pergunta que a jornalista Ana Luiza Basilio procurou responder no especial da Carta Capital lançado no Dia dos Professores (15/10).

A reportagem cita a recusa de escolas paulistas em aderir ao Programa de Ensino Integral (PEI) para discutir os riscos de aumento das desigualdades ao apenas se ampliar a permanência do aluno na escola – e sem levar em consideração a formação integral dos estudantes nas dimensões intelectual, física, emocional, social e cultural, como propõe o conceito de educação integral.

Romualdo Portela de Oliveira
Romualdo Portela de Oliveira

O material aborda também a necessidade de discutir a educação integral a partir da necessidade de maior financiamento.

“A existência de ofertas diferentes só é aceitável em uma política de transição que, a médio prazo, comportará todos os estudantes em um único modelo. Ainda assim, se a ideia é levar para o campo da equidade, que se comece a ofertar o ensino integral nas regiões mais vulneráveis, e não o contrário”, comenta Romualdo Portela de Oliveira, diretor de Pesquisa e Avaliação do CENPEC Educação, consultado pela reportagem.

Leia a íntegra na Carta Capital

Anna Helena Altenfelder
Anna Helena Altenfelder.

A resistência de escolas paulistas ao ensino de tempo integral também foi tema de reportagem da Folha de S. Paulo do dia 28/10. Segundo levantamento do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), citado no texto, nada menos que 77 colégios rejeitaram a ampliação de jornada.

Uma das fontes entrevistadas, Anna Helena Altenfelder, presidente do Conselho de Administração do CENPEC Educação, diz que a implementação da política de tempo integral deve ser pensada de forma a evitar o aumento da desigualdade, dando prioridade, por exemplo, a áreas mais vulneráveis.

Leia a íntegra da reportagem na Folha de S. Paulo (há limite mensal de acesso)

Saiba mais

Retratos da Leitura

José Alves
José Alves.

Também no dia 28, o jornal O Estado de S. Paulo noticiou os finalistas da 4ª edição do Prêmio Retratos da Leitura, do Instituto Pró-Livro.

A reportagem deu destaque à presença de José Alves, editor de Comunicação do CENPEC Educação, que participou da comissão de avaliadores da categoria Organizações Sociais Civis.

Confira a lista de vencedores no Estadão (há limite mensal de acesso)

Valorização e formação docente

A Base Nacional Comum para formação inicial e continuada de professores, atualmente em análise pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), foi o tema do programa Conexão Futura, disponibilizado na plataforma Futura Play.

O tema contou com a participação da diretora-executiva do CENPEC Educação, Mônica Gardelli Franco; da pesquisadora da ANPEd, Graça Reis; e de Maria Alice Carraturi, consultora de educação.

Mônica Gardelli Franco no Conexão Futura
Mônica Gardelli Franco no Conexão Futura. Clique para assistir. Foto: Reprodução/Canal Futura.

Também no Canal Futura, o Programa Escrevendo o Futuro e a Olimpíada de Língua Portuguesa foram destaques no Minuto Futura, com referência aos materiais gratuitos e cursos disponibilizados pela plataforma para formação de professores. O conteúdo foi reproduzido por outros veículos. Assista.

Mônica Gardelli Franco também foi entrevistada pelo redeGIFE sobre a necessidade de valorização e reconhecimento social da profissão de professor. Além disso, a entrevista abordou temas como financiamento da educação e Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O lugar do professor é sempre um lugar de tensionamentos, pois ele é o profissional que se coloca diante dos alunos com a missão de garantir suas aprendizagens. Essa já é, por si só, uma tarefa bastante complexa, mas que se torna ainda mais desafiante com a desvalorização profissional que tem marcado essa atividade no Brasil.”

Mônica Gardelli Franco

Leia a entrevista no redeGIFE

Saiba mais

  • O CENPEC Educação foi citado na versão preliminar da Base Nacional Comum de Formação de Professores da Educação Básica (BNC-Professores) apresentada em dezembro/2018 e retirada para análise do CNE em fevereiro deste ano.

Fotos: Acervo CENPEC Educação, exceto se houver outro crédito explicitado.