Vamos criar podcasts?

-

Vamos criar podcasts?

Autora da oficina: Paola Prandini, educomunicadora e jornalista. Oficina publicada originalmente em 2014 na Plataforma do Letramento (Cenpec).
Imprimir
O que é?

Trabalho com a linguagem de rádio por meio da criação de arquivos de áudio digital (encontros presenciais ou remotos).

Materiais
  • Programa gratuito para edição de áudio (como o Audacity), que deve ser instalado no computador.
  • Cadastro em sites para armazenar e compartilhar podcasts, como SoundCloud e Podomatic.
  • Fones de ouvido com microfone (headphones) ou microfones de mesa, fones de ouvido e caixas de som para computadores e notebooks.
Finalidade
  • Apresentar o rádio e o podcast como recurso educativo e cultural democrático para exercício da cidadania.
  • Promover a expressão, a comunicação e o protagonismo infantojuvenil por meio de práticas multiletradas.
  • Abordar questões técnicas básicas relativas a locução, captação e edição de áudio.
  • Reconhecer particularidades da linguagem radiofônica.
Expectativa
  • Contribuir para o desenvolvimento da competência leitora, escritora e oral dos participantes.
  • Promover práticas de multiletramento e letramento digital.
  • Praticar diferentes formas de conhecer e aprender e valorizar a diversidade.
Público

Crianças, adolescentes e jovens a partir de 10 anos.

Espaço

Sala de aula, sala de atividades, biblioteca, centro cultural, ou ambiente on-line.

Duração

3 a 5 encontros de 1h30min cada.


Início de conversa

A escola divide seu espaço com outras formas de aprendizagem e disputa a atenção de crianças, adolescentes e jovens com diferentes práticas sociais e tecnologias, sobretudo as interativas, como a internet e os programas de televisão que convidam os telespectadores a enviar comentários e sugestões de reportagens, por exemplo, além dos videogames, iPods, celulares, entre outros aparelhos eletrônicos.

Imagina-se que, em algumas atividades entediantes, se pudesse, o(a) estudante apertaria um botão e desligaria o(a) professor(a), ou ao menos trocaria de canal. Nesse cenário, uma pergunta vem à mente:

Como os ambientes educativos podem dialogar com essa dimensão social?

Comunicação e educação são indissociáveis. Juntas, elas podem proporcionar uma nova realidade para a escola. É possível facilitar o aprendizado e colocar em pauta assuntos e conhecimentos que antes não transitavam por esses espaços (e ainda hoje se apresentam de modo tímido). Além disso, a aliança entre educação e comunicação – que muitos estudiosos hoje chamam pelo termo educomunicação − potencializa a transformação de estudantes em cidadãos(ãs) conscientes e críticos(as).

Esse é um dos objetivos desta oficina, que propõe o trabalho com rádio por meio de podcasts (arquivos de áudio digital). Por meio de podcasts, é possível ouvir e baixar arquivos de áudio on-line, basta ter conexão de internet.

Com essa prática, podemos colaborar para um ambiente educativo que ofereça oportunidades iguais aos estudantes, favoreça a comunicação e o respeito pelo(a) outro(a) – e por sua opinião − como pilar para a vida em uma sociedade democrática. Sem contar a importância de ter voz dentro e fora dos espaços educativos!

A palavra podcast vem de pod (de iPod, aparelho reprodutor de áudios digitais em formato de arquivo) + cast (de broadcast, radiodifusão, transmissão de sinais de rádio e TV).

O trabalho com rádio é também uma excelente oportunidade de envolver crianças, adolescentes e jovens em práticas letradas abrangendo oralidade e escrita, o que pode colaborar para a ampliação das formas de expressão e para o letramento digital dos(das) envolvidos(as). 


Na prática

Nossa proposta é produzir coletivamente pequenos programas em áudio e disponibilizá-los em blogs ou sites. Se o objetivo for ampliar os horizontes, vocês podem publicar as produções em sites para armazenamento de podcasts (como os citados na lista de materiais). Assim, qualquer pessoa no mundo poderá conferir on-line as produções.

Vale dizer que não há nenhuma limitação do que pode ser disponibilizado em podcast: desde um depoimento breve até um programa de rádio completo (veja exemplo de lauda). No entanto, é sempre bom lembrar que, quanto mais objetiva, melhor a produção em áudio!


Primeiro encontro: aquecendo a turma! 

Em qualquer produção que faça uso de mídias na educação, é essencial iniciar com uma roda de conversa para identificar o repertório trazido pelos participantes e seus interesses em relação ao processo. 

A dica é começar com perguntas-chave, por exemplo: 

  • Vocês costumam ouvir rádio? Quais? E que programas preferem? 
  • E na internet, conhecem algumas rádios e programas de podcast disponíveis na rede? Quais?
  • Como esses tipos de rádio podem ser adaptados à nossa realidade? 

Esporte e letramento
Como promover uma roda de debates sobre esporte e letramento? Assista ao vídeo sobre a experiência com jovens em São Miguel Paulista.

Conhecendo a mídia…

Após a discussão, é interessante ressaltar que rádio é um tipo de mídia popular, informal e que geralmente usa linguagem coloquial. Além disso, no caso de um podcast, a audição não ocorre apenas durante a transmissão, ou seja, o(a) espectador pode ouvir em outro momento, quantas vezes quiser.

Com base na conversa inicial, você pode criar uma lista de programas de rádio e podcast citados pelos(as) estudantes, além de outras sugestões que considere interessante que eles(elas) conheçam. Assista a alguns com a turma e combine que ouçam outros observando os temas, tipos de programa e estilo de linguagem. Peça que cada um(a) anote suas observações, impressões e ideias sobre os programas.


Segundo encontro: conhecendo a linguagem de rádio

Organize uma nova roda de conversa para retomar com a turma as observações, ideias e impressões sobre os programas de áudio a que assistiram. Você pode fazer perguntas que os(as) oriente a perceber características da linguagem de rádio.

  • Quais são os principais temas dos programas que vocês ouviram?
  • Quem são os(as) apresentadores(as)? Qual é o perfil deles(as)?
  • A que público se dirigem?
  • Os programas usam outra linguagem além da fala (músicas instrumentais, canções, trilhas sonoras?)
  • Os programas têm diferentes blocos/seções/quadros temáticos? (Veja alguns exemplos.)
  • Há uma abertura (vinheta)? (Se não souberem o que é vinheta, você pode explicar e dar exemplos.)

Em seguida, conte para a turma que vocês vão criar seu próprio programa de rádio!


Terceiro encontro: mãos à obra!

Para começar a produzir um programa de rádio coletivo usando o podcast com um grupo de crianças, adolescentes ou jovens, você pode seguir estas etapas:

  • Escolham um tema para o programa, sempre tendo em mente qual será o público-alvo.
  • Definam alguns quadros vinhetas.
  • Escolham as trilhas musicais para o programa.
  • Organizem a sequência do programa conforme a lauda apresentada.
  • Ensaiem antes de gravar.
  • Façam a gravação usando um programa gratuito para edição de áudio (sugerimos o Audacity).
  • Editem seu programa também usando o Audacity ou outro programa similar.
  • Cadastrem-se em um site para armazenamento de podcast (como o Soundcloud, o Podomatic ou outro) e publiquem seu arquivo de áudio.
  • Divulguem a produção em um blog ou site, ou ainda no próprio site em que armazenaram seu podcast.

Organize com a turma as etapas e tarefas para o projeto, que pode levar mais alguns encontros.

Dicas sobre linguagem de áudio

  • Ao gravar um áudio, é importante que o texto a ser falado seja claro, direto, simples e conciso.
  • Evite palavras acessórias, como adjetivos, advérbios de modo e pronomes indefinidos (por exemplo, em vez de dizer “Diversos adolescentes se inscreveram para assistir a vários filmes da mostra de cinema organizada por alguns educadores desta bela escola”, prefira: “Estudantes se inscreveram para assistir a filmes da mostra de cinema organizadas por educadores desta escola.”).
  • Fuja do gerundismo (por exemplo: em vez de “estaremos verificando…” diga “vamos verificar”).
  • Prefira a ordem direta das frases e a voz passiva (por exemplo: é melhpr dizer “os organizadores divulgarão os eventos” do que “os eventos serão divulgados pelos organizadores”).

Avaliando

É importante que a avaliação das práticas seja contínua, ao longo de todas as etapas do processo. Dessa forma, é possível construir ambientes dialógicos, que valorizam a expressão e a opinião de todos(as) os(as) envolvidos(as).

A dica é sistematizar indicadores para avaliações periódicas, como:

  • formulários (impressos ou on-line, como os disponíveis no Google Drive) para pesquisas e enquetes;
  • rodas de conversa com os(as) integrantes das atividades;
  • dinâmicas de avaliação que incentivem os participantes a discutir as ações realizadas e previstas, conforme o planejamento compartilhado com a turma.

Expectativas de aprendizagens

Com essas sugestões, pretendemos promover a reflexão crítica sobre o poder das mídias na sociedade e sobre a necessidade de todos os indivíduos terem voz legitimada nos diversos espaços sociais. A criação de programas de rádio usando o podcast é uma proposta midiática que, além de favorecer o letramento digital, contribui para a construção coletiva de um ambiente educativo democrático e cidadão.


Mais recursos

A seguir, você pode assistir a um curso completo sobre o programa de edição e gravação de áudio Audacity.


Sites como Soundcloud e Podomatic são muito úteis para divulgar a produção radiofônica. Assim que tiverem o programa salvo no formato mp3, vocês podem acessar o site, criar uma conta e subir o áudio. Feito isso, o próprio site criará um link embed (“embedar” é embutir um vídeo ou áudio em um ambiente na internet etc.). Vocês podem copiar e colar esse link em um blog ou site de preferência. Dessa forma, qualquer pessoa pode ouvir o áudio.


Ampliando a discussão… 

  • Breve explicação sobre o que é podcast:
  • Detalhamento sobre podcast:
  • Como criar um áudio digital no PodOmatic:

Veja também