Letramento e esporte

-

Letramento e esporte

Proposta de oficina: Marcia Coutinho e Tamara Castro. Roteiro de vídeo: José Luiz Adeve, Marcia Coutinho e Tamara Castro. Vídeo: Mova Filmes. Conteúdo publicado originalmente na Plataforma do Letramento
Imprimir

O que é?

Projeto de educomunicação relacionado a esportes, explorando gostos, atividades e conhecimentos prévios dos jovens, e envolvendo-os em práticas sociais de leitura, escrita e oralidade.

Materiais

• Notícias, reportagens, crônicas esportivas publicadas em jornais, revistas, livros, sites. 
• Computador/tablet com acesso à internet, máquina fotográfica/celular, gravador (opcionais). 

Finalidade

• Promover rodas de debate sobre práticas esportivas dos jovens, suas preferências, valores, crenças e aspirações a respeito do esporte, bem como os problemas que vivenciam e percebem em seu cotidiano e por meio da mídia.
• Identificar as principais fontes de informação dos estudantes sobre o tema, perceber e problematizar os enfoques, os posicionamentos e as diferentes linguagens (verbais, imagéticas, sonoras…) utilizadas. 
• Pesquisar a linguagem corrente entre os grupos desportivos da comunidade, observando suas formas de comunicação, as variantes e as expressões locais. 
• Promover rodas de leitura sobre esportes para ampliar o repertório da turma.
• Produzir, individual e coletivamente, textos de vários gêneros e em diferentes suportes, com base nas discussões e nas pesquisas desenvolvidas. 

Expectativa

Promover a participação na cultura letrada e o protagonismo juvenil por meio de atividades educomunicativas relacionadas a esportes.

Público

Jovens do Ensino Fundamental e Médio

Local

Quadra/sala na escola ou centro esportivo

Duração

Encontros semanais de 1h30 a 2h

Início de conversa

É possível ampliar o letramento dos jovens por meio do esporte, explorando diferentes linguagens e mídias? Os participantes do Projeto Sintonia Cidadã afirma que sim! A inspiração vem de São Miguel Paulista, distrito da zona leste do município de São Paulo.

A iniciativa nasceu em 2011, como um embrião de ações de letramento desenvolvidas no Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar (NCC). Os encontros ocorriam três vezes por semana, com a participação de 15 jovens, a fim de promover o letramento por meio da educomunicação, estimular práticas esportivas da localidade e preparar os estudantes para trabalhos em eventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Para conhecer um pouco dessa proposta transformadora, assista ao vídeo a seguir, produzido pela Plataforma do Letramento (CENPEC) em 2014. Nele, o educomunicador José Luiz Adeve (Cometa) e os estudantes Heloísa Cardoso e Rodrigo Sousa Silva relatam como foi participar dessa iniciativa.

O sucesso do Sintonia Cidadã entusiasmou os participantes, que em 2012 criaram como desdobramento o Intermídia Cidadã. Além de trabalhar as linguagens de comunicação, o Intermídias discute temas como: novas formas comunicativas do habitar; participação comunitária e conexão escola; território e TV Digital, buscando promover a consciência crítica, a cidadania e a percepção de novos caminhos de vida pessoal e coletiva. Conheça.

Na prática

Sugestão de encaminhamento

Esta oficina propõe relacionar esporte e práticas de letramento, dialogando com as reflexões e práticas apresentadas no vídeo sobre o Projeto Sintonia Cidadã.

Levantamento de conhecimentos prévios 
Promova uma roda de conversa estimulando os estudantes a falar de suas práticas, preferências, valores, ideias, dificuldades acerca do esporte etc. Você pode incentivar a participação deles fazendo algumas perguntas: De quais esportes vocês mais gostam? Quais praticam? Do que gostam e do que não gostam nessas práticas? Por quê? 

Identificação e ampliação de repertório cultural 
Questione onde os alunos costumam ver eventos e jogos esportivos e se informar a respeito deles: programas de TV, rádio, jornais, revistas, sites… Proponha que tragam notícias, reportagens, crônicas esportivas, imagens etc. Você também pode sugerir que façam anotações sobre programas esportivos de rádio ou TV a que costumam assistir.

Apresente outras fontes de informação e discussão sobre questões relacionadas a esportes (veja algumas sugestões no fim desta oficina).
Estimule-os a observar as linguagens utilizadas nos diferentes veículos: a articulação entre as várias modalidades (som, imagem, escrita), os níveis da linguagem (mais ou menos formal), as expressões utilizadas (termos técnicos do futebol, gírias, jargões esportivos, expressões que caracterizam determinado comentarista ou locutor) etc. 

Rodas de debate
Com base nesse levantamento, escolha coletivamente alguns temas a ser discutidos nas rodas de debate. Como referência, você pode assistir com eles a algumas mesas-redondas veiculadas na TV ou em rádios, observando as principais características desses programas. 
Problematize algumas questões relacionadas aos temas escolhidos, por exemplo: futebol como forma de ascensão social; os perigos dos esportes de alto rendimento; a exploração de algumas modalidades pela mídia e pela publicidade; os investimentos públicos para a realização de eventos esportivos como a Copa do Mundo e a Olimpíada; os preconceitos no cotidiano dos esportes etc. 

Estabeleça alguns combinados para organizar o debate:
• definir um tema orientador;
• ouvir e respeitar a vez de falar dos colegas;
• respeitar as diferentes opiniões e argumentações (é importante ressaltar que um debate só é possível se houver posicionamentos distintos e até mesmo divergentes sobre determinado tema);
• compreender que a oposição deve se manter no nível das ideias, sem extrapolar para a vida pessoal dos participantes;
• entender que se pode mudar de opinião ao longo do debate, em razão de um participante ser convencido (total ou parcialmente) pelos argumentos de outra parte (ressalte que essa é uma das grandes riquezas da discussão democrática: possibilitar que cada um conheça diferentes pontos de vista sobre determinado tema e repense suas crenças, ideias e posturas).

Divulgação dos textos
Após as discussões e as leituras promovidas, proponha aos alunos que elaborem, individualmente ou em grupo, textos escritos e orais. É interessante que a escrita esteja atrelada a uma finalidade comunicativa (pode ser um texto que ficará exposto no mural da escola; uma crônica publicada num blog, um post compartilhado via Facebook ou uma notícia que circulará em papel na comunidade).

Um aspecto fundamental é a definição do público-alvo: quem serão os possíveis leitores ou espectadores: os colegas da escola, a comunidade escolar, o bairro? Com base nessa definição, você pode propor que pesquisem o perfil de seu público: práticas e preferências esportivas, veículos comunicativos que costumam acessar, linguagem corrente etc.

Defina com eles as características e as possíveis formas de divulgação dos textos: gênero (notícia, reportagem, crônica, narração), linguagens articuladas à escrita (áudios, vídeos, fotos, ilustrações), suporte (impresso: jornal, revista; digital: blog, rede social; epigráfico: cartaz, mural; rádio, TV comunitária…).

Mais sobre o Sintonia Cidadã

O sucesso do Sintonia Cidadã entusiasmou os participantes, que em 2012 criaram como desdobramento o Intermídia Cidadã. Além de trabalhar as linguagens de comunicação, o Intermídias discute temas como: novas formas comunicativas do habitar; participação comunitária e conexão escola; território e TV Digital, buscando promover a consciência crítica, a cidadania e a percepção de novos caminhos de vida pessoal e coletiva. Conheça.

O Núcleo de Comunicação Comunitária São Miguel no Ar (NCC) desenvolve ações educomunicativas para atuar no espaço público, como a rádio e a TV de rua São Miguel no Ar e o jornal A Voz do Lapenna. Também realiza atividades em escolas locais, sempre por meio da construção coletiva. Acesse o blog para saber mais.

O jornal A Voz do Lapenna foi criado e organizado e escrito pelos jovens do NCC. Leia uma edição.

Para José Luiz Adeve, um dos educadores envolvidos no Projeto Sintonia Cidadã: “O esporte ajuda o jovem a descobrir suas potencialidades humanas”. Ouça a entrevista aqui.

Para ampliar a discussão

O site Portacurtas tem vários curta-metragens que tratam de esportes, como os documentários Metamorfose (sobre a pernambucana Roseane Ferreira dos Santos, madrinha do atletismo paradesportivo brasileiro), Uma história de futebol (sobre a infância de Pelé), e os ficcionais Maré Capoeira (sobre o menino que sonha ser mestre de capoeira para dar continuidade a uma tradição familiar), Cartão vermelho (apresentando o cotidiano de Fernanda, que gosta de jogar futebol com os meninos) e Ernesto no país do futebol (garoto argentino residente no Brasil em ano de Copa do Mundo). Acesse o Portacurtas

O paraibano José Lins do Rego, autor de obras clássicas como Menino de engenhoDoidinho e Fogo morto, escreveu mais de 1.500 crônicas esportivas entre 1945 e 1957. Saiba mais na matéria do jornal Tribuna do Norte.

Leia o artigo “Crônica esportiva brasileira: histórico, construção e cronista”, de Felipe R. da Costa, Amarílio Ferreira Neto e Antonio J. G. Soares, publicado na Revista Pensar a Prática, da Universidade Federal de Goiás (UFG). Acesse.