Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária lança edital para MG

-

Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária lança edital para MG

Escolas públicas municipais de educação Infantil e/ou ensino fundamental de nove cidades do Vale do Rio Doce podem inscrever-se até 10/04/2020
Imprimir

Fortalecer 10 projetos escolares, desenvolvidos em suas comunidades, que articulem aprendizagem e intervenção social conforme a metodologia da aprendizagem solidária é o objetivo do edital lançado pela Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS) para a Mesorregião do Vale do Rio Doce, no estado de Minas Gerais.


Projetos no Vale do Rio Doce

A iniciativa conta com apoio do Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS), do CENPEC Educação e do Instituto Novare. Podem concorrer práticas educativas desenvolvidas por escolas públicas municipais de educação infantil e/ou do ensino fundamental de nove cidades mineiras do Vale: Belo Oriente, Braúnas, Coronel Fabriciano, Entre Folhas, Inhapim, Ipaba, Mesquita, Santana do Paraíso e Timóteo.

Mapa de Minas Gerais, com destaque para a Mesorregião do Vale do Rio Doce.
Mapa de Minas Gerais, com destaque para a Mesorregião do Vale do Rio Doce.
Imagem: Raphael Lorenzeto de Abreu. Reprodução sob licença CC BY 2.5.

A prática que mais se destacar ganhará também uma bolsa para enviar um(a) representante para compartilhar a experiência no Seminário Internacional de Aprendizagem e Serviço Solidário, que será realizado pelo CLAYSS em Buenos Aires, Argentina, em agosto de 2020.

Já a rede de ensino que tiver o maior número de práticas inscritas, entre as nove cidades contempladas no edital, será premiada com apoio formativo que inclui 30 horas de assessoria e formação presencial e um total de 12 bolsas para formação à distância na temática da aprendizagem solidária.

Para inscrever-se, os responsáveis pelos projetos devem preencher uma ficha de inscrição detalhando informações sobre a escola, o projeto, os públicos beneficiados e as aprendizagens mobilizadas.

O formulário de inscrição deverá ser enviado, anexo a um vídeo de apresentação da iniciativa, para o e-mail premioescolasolidaria@gmail.com, entre os dias 17 de março e 10 de abril de 2020.  

Para mais informações, leia a íntegra do edital

Baixe o formulário de inscrição

A RBAS recomenda também a leitura do Guia para o desenvolvimento de projetos de aprendizagem solidária, para avaliar se seu projeto se enquadra na proposta.


Sobre a aprendizagem solidária

Existem várias nomenclaturas ao redor do mundo para definir essa concepção pedagógica focada numa aprendizagem que se faz com a cabeça, o coração e as mãos: aprendizagem solidária, aprendizagem e serviço solidário, voluntariado educativo, service learning. Isso porque ela é praticada, pelo menos, desde início do século XX – e já chegou a mais de 40 países.

Independentemente da nomenclatura, a aprendizagem solidária pode ser definida como uma metodologia de ensino caracterizadas por uma dupla intencionalidade, solidária e formativa – e ambas articulam-se simultaneamente.

Por meio dela, crianças, adolescentes e jovens têm a oportunidade de colocar em ação os conhecimentos curriculares aprendidos na escola, para atender às necessidades percebidas na realidade do território em que se inserem.

Conforme o Guia para o desenvolvimento de projetos de aprendizagem solidária, para ser considerado de aprendizagem solidária, um projeto deve contemplar ao menos três características:

  • Ser destinado a atender de forma limitada e eficaz as necessidades reais, sentidas junto com a comunidade e não apenas para ela;
  • Ser ativamente protagonizados pelos estudantes desde o planejamento até a avaliação;
  • Ser intencionalmente planejado de forma integrada com os conteúdos de aprendizagem (conteúdos curriculares, reflexão, desenvolvimento de habilidades cidadãs, trabalho e pesquisa).

Assista ao vídeo e saiba mais sobre aprendizagem solidária.


Aprendizagem solidária no Brasil

No início de 2018, foi lançada a RBAS, com o objetivo de fortalecer essa perspectiva educativa no País. Desde então, a Rede tem realizado formações, buscado mapear iniciativas e ações que tenham relação com a aprendizagem solidária e trocar experiências entre escolas, organizações da sociedade civil, fundações, institutos, movimentos sociais e outros atores que realizam projetos de educação integral e outras perspectivas convergentes com a metodologia. Coordenada pelo CENPEC Educação, em articulação com o CLAYSS e o Instituto Singularidades, a RBAS conta também com o apoio da Rede Ibero-Americana de Aprendizagem-Serviço.


Saiba mais