Ecoa Formação: o que esperar do programa em 2022

-

Ecoa Formação: o que esperar do programa em 2022

Foco na implantação de uma política educacional, desenvolvimento de pesquisa aplicada e olhar para o acompanhamento e avaliação das trajetórias escolares são algumas das novidades deste ano; saiba mais.
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Um bom programa que busca apoiar as redes de ensino no enfrentamento das desigualdades visando a garantia do direito à  educação para todas e todos e tem que estar muito atento à conjuntura em que se encontra e saber se adaptar a ela. Os desafios frente aos quais nos deparamos há dois anos, no início da pandemia, são distintos dos que devemos enfrentar agora, em 2022, com o avanço da vacinação, a queda no número de casos e óbitos por Covid-19 e a reabertura das escolas.

Fonte: Ecoa/Cenpec

O Programa Ecoa Formação, iniciativa do Instituto Alcoa com coordenação técnica do Cenpec, tem essa preocupação – e, por isso, traz novidades este ano.

O Programa, que acontece desde 2020, deve continuar desenvolvendo ações em torno de quatro eixos:  assessoria técnica, formação, produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologia educacional, agora para cerca de 450 educadoras(es) e técnicas(os), envolvendo 37 escolas das redes municipais de ensino de Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA).

Ao olhar de Heloísa Martins Proença, integrante da equipe do Programa:

Heloísa Martins Proença, integrante da equipe do Programa
Foto: Acervo pessoal

O Ecoa Formação é um programa que tem uma ascensão. Apesar de estar no início, já conseguiu se consolidar nas redes, tanto com as equipes da secretaria quanto as escolares. Assim, ele consegue absorver as necessidades e trabalhar com os dilemas das secretarias e contribuir com possibilidades para enfrentá-las.”

Heloísa Martins Proença


Assessoria técnica focada

Uma das mudanças significativas do Programa este ano é o foco da assessoria técnica, como explica Solange Feitoza, coordenadora de pesquisa e avaliação do Cenpec:

Foto: arquivo pessoal

Nos dois últimos anos, buscamos atender todas as demandas dos municípios, por causa do cenário da pandemia, que trouxe muitos desafios para as secretarias. Este ano, lendo o cenário educacional e tendo o Programa mais consolidado, estamos focalizando a assessoria técnica no diagnóstico para implantação de uma política educacional identificada a partir das necessidades das equipes técnicas locais.”

Solange Feitoza

Assim, o foco será voltado para apoiar as secretarias na formulação de uma política que queiram estruturar e que enfrente as desigualdades educacionais. “Nós ajustamos o Programa para que ele realmente seja uma ferramenta que potencialize a ação de quem está na ponta”, diz Solange.


Pesquisa  e atenção aos protocolos de acompanhamento de trajetórias escolares

No eixo de produção e disseminação do conhecimento, além de lançar algumas publicações fruto das formações e do ciclo de debates realizados em 2021, o Programa deve desenvolver uma pesquisa  ao longo do ano tendo como objeto  a realidade educativa das três redes de ensino.

Saiba mais sobre o ciclo de diálogos do Ecoa sobre educação pública

Já com relação ao desenvolvimento de uma tecnologia educacional, o foco será no monitoramento, acompanhamento e na avaliação das trajetórias escolares.

Queremos conhecer os tipos de registros que os docentes utilizam para acompanhar a trajetória escolar dos alunos e os usos que são feitos destes resultados, seja por ele, pela  gestão escolar ou pela secretaria de educação. Outro aspecto é identificar se há uma sistemática de acompanhamento e monitoramento destes resultados com registros, fluxos e protocolos definidos e conhecidos por todos. Nosso intento é discutir com as equipes a importância de promover intervenções pedagógicas ao longo do ano letivo, calcadas nos resultados e envolvendo a sala de aula, a gestão escolar e a secretaria de educação.”

Solange Feitoza

Caso a rede não tenha esses protocolos, o Programa buscará investir na criação dessa sistemática, para garantir esse olhar para o que está acontecendo dentro da escola.

Essa medida pode ser vista como um aprofundamento do trabalho realizado sob esse eixo de atuação nos anos anteriores, quando foi criado um hotsite apresentando dados educacionais tendo como fonte os dados do Censo escolar e das avaliações externas  e painéis específicos com marcadores de desigualdades (raça/cor, gênero e NSE) das três redes de ensino que fazem parte do Ecoa. Este ano, ainda será realizado um curso para  os técnicos e gestores se apropriem da ferramenta de dados, como trabalhar e interpretar esses dados.


Formações

As formações começam este mês e acontecem em três frentes: Língua Portuguesa, Matemática e Avaliação educacional em seus três níveis (da aprendizagem, institucional e externa). Ao contrário do ano passado, as formações devem juntar educadoras(es) e técnicas(os), em encontros de maior duração.

O objetivo é atender as necessidades das(os) educadoras(es) neste momento em que os impactos de dois anos de aulas remotas estão latentes – mas que não são vistos apenas como fruto da pandemia, já que esses problemas (como evasão e defasagem de aprendizagem) já existiam antes. Para isso, a equipe adota a homologia de processos, a tematização sobre a prática e a observação de experiências pedagógicas na escola como estratégias prioritárias para a realização do trabalho de formação.

Saiba mais sobre como funciona o Ecoa Formação aqui

A homologia dos processos busca alinhar os processos formativos, ações e metodologias desenvolvidas por docentes, escolas ou rede aos discursos e valores educativos professados.

Como explica Solange:

Durante as duas primeiras horas, teremos no grupo de formação professores e técnicos da secretaria. Depois, ficarão apenas os técnicos da secretaria, para que possamos mobilizar o olhar deles para a formação que acabou de acontecer. Buscaremos colocar a prática em evidência e fazer uma crítica, ‘analisá-la’, deslocando a pessoa para um outro lugar de sujeito integrante da formação para observador dela.”

Solange Feitoza

No caso da frente de Avaliação, por exemplo, Tiago Monteiro, pesquisador e integrante da equipe do Ecoa, acredita que o papel das formações é estimular as(os) docentes a pensarem práticas de acompanhamento pedagógico por meio da avaliação para que consigam, dentro dos seus contexto e desafios, potencializar a aprendizagem das(os) estudantes:

Tiago Monteiro, pesquisador e integrante da equipe do Ecoa
Foto: Acervo pessoal

Vale ressaltar que entendemos que o processo de avaliação não se relaciona simplesmente com o aspecto cognitivo da aprendizagem, mas à questão socioemocional de estudantes e de docentes em especial. Assim, nossa expectativa é poder apoiá-las(os) a pensar como que elas(es) olham para as(os) estudantes, para todos e cada um deles, entendendo quais são as necessidades que elas(es) têm, que foram dilatadas dentro desse período. Mais do que isso, como a perceber essas dificuldades, a partir desses diagnósticos, e tomar decisões conscientes, considerando tempo, contexto, limitações, possibilidades, fortalecendo as práticas e criando uma comunidade de aprendizagem.”

Tiago Monteiro

Expectativas e potências

Heloísa, que já trabalhou em diferentes frentes de atuação do Programa (como assessoria técnica, formação e elaboração de materiais), reforça que as formações devem intensificar a compreensão de que as redes precisam ter um plano de atuação de curto, médio e longo prazo – e o próprio Programa oferece isso.

Além deste, um dos grandes trunfos do Ecoa Formação é justamente juntar três redes de ensino distintas em um mesmo espaço, como ela explica:

O Programa atende três redes de três estados com características que são bem singulares e diferentes – não só por suas características regionais de território, mas em relação às suas demandas e necessidades. Mas elas também têm elementos que são comuns, como o desafio no trabalho com a linguagem como uma boa ferramenta de comunicação e, principalmente, o enfrentamento das desigualdades, que ficaram muito acentuadas nos dois últimos dois anos. É nessa intersecção que está o seu grande potencial formativo.”

Solange Feitoza

Para Solange, a grande contribuição do Ecoa se dá quando o Programa é visto não pelas suas partes, mas como um todo:

É um Programa que investe na formação docente, na produção e disseminação do conhecimento escolar, na criação de novas tecnologias, visando a melhoria da qualidade do ensino, e no apoio técnico às secretarias de educação. Com base nesse conjunto de ações, problematizamos com as redes a criação e o aprimoramento de estratégias que enfrentam as desigualdades educacionais – que é o nosso objetivo maior.”

Solange Feitoza


Veja também