Cenpec 2021: apoio às redes de ensino na pandemia

-

Cenpec 2021: apoio às redes de ensino na pandemia

Reveja algumas das principais ações da organização durante este ano em diferentes áreas de atuação, pesquisas e projetos
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Diferentemente do ano passado, que a pandemia de Covid-19 pegou todos de surpresa, este ano de 2021 passou com as escolas e redes de ensino buscando cada vez mais lidar com a realidade imposta de uma educação remota e visualizando um retorno presencial seguro para todos e todas. Foi também este ano que pudemos constatar com mais precisão os impactos negativos do ensino remoto em todos os atores da comunidade escolar, como a dimensão da evasão escolar ou da defasagem de aprendizagem das(os) estudantes.

Como uma organização que atua pela garantia do direito à educação de toda criança, adolescente e jovem brasileira(o), o Cenpec também passou o ano lidando com as consequências da pandemia na educação e pensando maneiras de atuar nesse momento crítico. 

Para Beatriz Cortese, gerente de Tecnologias Educacionais do Cenpec, esse apoio da organização às redes de ensino foi muito importante e decisivo nos projetos:

Metodologias ativas: como inovar na sala de aula e envolver mais os(as)  alunos(as)
Foto: arquivo Cenpec

Atendemos diretamente mais de 50 municípios de todo o país em 2021, realizando uma formação sistêmica com eles que garantiu um apoio para que essas redes de ensino não ficassem totalmente sozinhas na execução de diversas demandas que elas precisavam solucionar durante esse momento de pandemia.”

Beatriz Cortese

Ainda que cada projeto tenha as suas características, o Cenpec estimula que haja uma conversa entre as equipes internas. Essa articulação é importante para que a organização consiga visualizar desafios comuns que aparecem em distintas localidades, pensando na melhor forma de intervir sobre eles, levando em consideração os conhecimentos e as particularidades locais.

A temática da busca ativa, por exemplo, perpassou todos os projetos, por meio de diferentes aspectos e de acordo com as demandas do financiador e do próprio município.  Pensamos muito sobre questões como: como a gente pode apoiar as redes para elas não perderem (tantos) alunos no meio do caminho? Como essas(es) estudantes retornam? Que tipo de diagnóstico pode ser feito para o retorno das(os) estudantes? Qual é o papel de cada um dos agentes educacionais nisso?”

Beatriz Cortese


Formação sistêmica

O Cenpec atua com formação sistêmica das redes de ensino há mais de 30 anos. Ela consiste no atendimento de uma cadeia de agentes que compõem a rede – ou seja, realizar formações não somente com educadores(as), mas com a equipe gestora das escolas e a equipe técnica da própria secretaria. 

Beatriz explica a importância de atuar dessa forma:

Sabemos já há muito tempo que é preciso fazer com que a mudança na sala de aula esteja articulada a um olhar diferente do gestor ou da equipe gestora da escola e da própria rede de ensino. Não é que seja inócuo trabalhar só com os professores. Mas esse tipo de ação promove uma mudança muito, muito pontual. Nessa condição, pode ser que se crie uma ilha de excelência no meio de uma rede toda – e não é isso que a gente quer. Queremos que todas(os) as(os)estudantes tenham condições de avançar nas suas aprendizagens.”

Beatriz Cortese

O Cenpec também olha para a organização e o funcionamento das redes de ensino, buscando aprimorar habilidades necessárias para cada um dos agentes dessa cadeia. Além disso, a organização sempre pensa e constrói ações em conjunto com os atores envolvidos. 

Trabalhamos muito numa lógica de interlocução, o que garante já um pouco da transferência de tecnologia para as redes de ensino. Mas, no decorrer do tempo, também oferecemos para elas muitos instrumentos de apoio. Pode ser algo simples, como uma planilha de excel para acompanharem o desenvolvimento das(os) estudantes. Atuamos assim para que, no momento em que o Cenpec saia da execução de um projeto, os municípios tenham meios e ferramentas para caminharem sozinhos.”

Beatriz Cortese


Como o Cenpec trabalha

A formação sistêmica é apenas uma das estratégias de atuação do Cenpec com objetivo de construir equidade na educação. Em setembro de 2021, a organização reafirmou esse seu propósito e lançou o Painel de Desigualdades Educacionais no Brasil.

Fonte: Cenpec

Para ajudar a construir a equidade na educação, a organização mobiliza diferentes caminhos de produção de conhecimento e de desenvolvimento de tecnologias, a fim de promover o acesso, a permanência e a aprendizagem de todas e todos.

Na mandala ao lado, procuramos mostrar, de forma visual e interativa, nossas diferentes estratégias e tecnologias educacionais para o enfrentamento das desigualdades educacionais. (A versão interativa da mandala se encontra na página Sobre nós do Portal. )Cada uma das bolinhas ao redor da mandala representa uma das 17 frentes estratégicas de atuação do Cenpec. São elas:

  • Formação sistêmica de gestores e docentes para fortalecimento da rede
  • Organização e funcionamento das redes de ensino
  • Transferência de tecnologias para redes de ensino
  • Prêmios como estratégia de formação de educadores(as) e mobilização de redes
  • Produção e utilização de dados dinâmicos sobre desigualdades educacionais customizados para os municípios
  • Estratégia de busca dos que estão fora da escola
  • Correção de fluxo educacional
  • Prevenção de abandono e evasão escolar
  • Recuperação da aprendizagem
  • Alfabetização na idade certa e alfabetização tardia
  • Inovação tecnológica e protagonismo juvenil
  • Tratamento didático dos componentes curriculares
  • Fortalecimento dos espaços educativos do território
  •  Avaliação de projetos, programas e políticas públicas
  • Monitoramento e avaliação de programas sociais
  • Educação a distância para educadores(as)
  • Pesquisas científicas aplicadas


Retrospectiva institucional

Para visualizar melhor essa atuação e destacar algumas das principais ações do Cenpec durante 2021, compilamos abaixo notícias veiculadas no Portal Cenpec sobre alguns dos projetos, ações e pesquisas realizados ao longo deste ano.

Confira a nossa retrospectiva institucional a seguir!


Painel de desigualdades educacionais no Brasil

Elaborado pelo próprio Cenpec, o painel interativo traz dados e análises sobre as desigualdades educacionais de forma dinâmica e simples. Atualmente, ele apresenta resultados de permanência escolar (reprovação, distorção idade-série e abandono escolar) e formação inicial docente.


Apoio Pedagógico Complementar (APC)

Tecnologia que se insere no âmbito do Programa Melhoria da Educação, o APC busca apoiar as secretarias de Educação de 13 municípios da Paraíba a enfrentar os desafios de aprendizagem nos anos iniciais do ensino fundamental. 

Parceiros: Itaú Social (financiador) e Consórcio Intermunicipal de Gestão Pública Integrada nos Municípios do Baixo Paraíba (Cogiva)

Estratégias mobilizadas: Formação sistêmica de gestores e docentes para fortalecimento da rede; organização e funcionamento das redes de ensino; transferência de tecnologias para redes de ensino; produção e uso de dados dinâmicos sobre desigualdades educacionais customizados para os municípios; busca das(os) que estão fora da escola; correção de fluxo educacional; prevenção de abandono e evasão escolar; recuperação da aprendizagem; alfabetização na idade certa e alfabetização tardia


Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP)

A Olimpíada de Língua Portuguesa e o Programa Escrevendo o Futuro desenvolvem ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para o ensino da língua portuguesa, utilizando metodologia que considera os gêneros textuais. Este ano, a OLP trouxe uma série de mudanças, como o foco no coletivo e com base no relato de prática das(os) professoras(es).

Parceiros: Itaú Social (financiador), Ministério da Educação, Canal Futura, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Conselho Nacional dos Dirigentes de Educação (Consed) e Fundação Roberto Marinho

Estratégias mobilizadas: Prêmios como estratégia de formação de educadoras(es) e mobilização de redes; transferência de tecnologias para redes de ensino; tratamento didático dos componentes curriculares; educação a distância para educadoras(es)


Prêmio Respostas para o Amanhã – Solve for Tomorrow

O Solve for Tomorrow busca estimular estudantes e docentes da rede pública de todo o país a desenvolverem projetos inovadores para solucionar problemas e desafios da sociedade local, a partir da abordagem STEM (sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática).

Parceiros: Samsung (financiador) e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)

Estratégias mobilizadas: Prêmios como estratégia de formação de educadoras(es) e mobilização de redes; transferência de tecnologias para redes de ensino; prevenção de abandono e evasão escolar; inovação tecnológica e protagonismo juvenil; educação a distância para educadoras(es)


Programa Itaú Social UNICEF

O Programa Itaú Social UNICEF busca formar e fomentar organizações da sociedade civil (OSCs) que promovam a educação integral e inclusiva de crianças e adolescentes para o aprimoramento de suas práticas e o alcance de resultados de qualidade.

Parceiros: Itaú Social e UNICEF (financiadores)

Estratégias mobilizadas: Prêmios como estratégia de formação de educadoras(es) e mobilização de redes; transferência de tecnologias para redes de ensino; prevenção de abandono e evasão escolar; fortalecimento dos espaços educativos do território; monitoramento e avaliação de programas sociais


Programa Ecoa Formação

O Programa Ecoa é um projeto de assessoria técnica e formação às redes municipais de ensino de Juruti (PA), de Poços de Caldas (MG) e de São Luís (MA), com cerca de 700 gestoras(es), coordenadoras(es), educadoras(es) e técnicas(os) das três redes municipais de ensino.

Parceiros: Instituto Alcoa (financiador), Secretaria Municipal de Educação de Poços de Caldas (MG), Secretaria Municipal de Educação Juruti (PA), Secretaria Municipal de Educação de São Luís (MA)

Estratégias mobilizadas: Formação sistêmica de gestores e docentes para fortalecimento da rede; organização e funcionamento das redes de ensino; transferência de tecnologias para redes de ensino; produção e utilização de dados dinâmicos sobre desigualdades educacionais customizados para os municípios; estratégia de busca dos que estão fora da escola; correção de fluxo educacional; prevenção de abandono e evasão escolar; recuperação da aprendizagem; educação a distância para educadoras(es)


Parceria pela Valorização da Educação (PVE)

Por meio de parcerias com as prefeituras e as secretarias municipais de Educação, o PVE contribui para a melhoria da educação pública nos municípios, por meio da mobilização social das comunidades e da qualificação das práticas de gestão educacional e escolar.

Parceiros: Instituto Votorantim (financiador) e Comunidade Educativa Cedac

Estratégias mobilizadas: Formação sistêmica de gestoras(es) e docentes para fortalecimento da rede; organização e funcionamento das redes de ensino; transferência de tecnologias para redes de ensino; produção e utilização de dados dinâmicos sobre desigualdades educacionais customizados para os municípios; estratégia de busca dos que estão fora da escola; correção de fluxo educacional; prevenção de abandono e evasão escolar; recuperação da aprendizagem


Letra Viva Alfabetiza

O projeto Letra Viva Alfabetiza busca contribuir com a melhoria da educação pública através de uma metodologia que qualifica processos e práticas de alfabetização e letramento por meio da formação de rede. Em 2021, o projeto ocorreu em parceria com cinco secretarias municipais de educação do Vale do Ribeira em São Paulo: Apiaí, Barra do Chapéu, Itaoca, Itapirapuã Paulista e Ribeira.

Estratégias mobilizadas: Formação sistêmica de gestores e docentes para fortalecimento da rede; organização e funcionamento das redes de ensino; transferência de tecnologias para redes de ensino; produção e utilização de dados dinâmicos sobre desigualdades educacionais customizados para os municípios; estratégia de busca dos que estão fora da escola; correção de fluxo educacional; prevenção de abandono e evasão escolar; recuperação da aprendizagem; alfabetização na idade certa e alfabetização tardia; educação a distância para educadoras(es)


Comunidade Cenpec

A Comunidade Cenpec reúne um grupo de educadores(as) que trabalharam ou trabalham em projetos na organização. Eles se colocaram à disposição para trabalhar voluntariamente como formadores(as) em dois diferentes projetos: Educação para as relações étnico-raciais e Letra Móvel.

O primeiro buscou apoiar cinco Centros de Educação Infantil da zona leste de São Paulo na implementação da Lei 10.639/2003 e de uma educação antirracista. O segundo apoiou crianças em alfabetização e letramento por meio de chamadas de vídeo de WhatsApp na pandemia.

Parceiros: Fundação Tide Setúbal (no caso do projeto Letra Móvel) e Instituto Educacional Projetando o Futuro (no caso do projeto Educação para as relações étnico-raciais)

Estratégias mobilizadas: Alfabetização na idade certa e alfabetização tardia; educação a distância para educadoras(es); fortalecimento dos espaços educativos do território


Cenário da Exclusão Escolar no Brasil

Esse estudo traça um panorama da exclusão escolar antes e durante a pandemia, e mostra que o Brasil corre o risco de regredir duas décadas no acesso de meninas e meninos à educação.

Parceiros: UNICEF

Estratégias mobilizadas: Pesquisas científicas aplicadas


Enfrentamento da cultura do fracasso escolar

Esse estudo faz uma análise dos dados da Pnad e do Censo Escolar sobre reprovação, distorção idade-série e abandono escolar, arranjados de forma não disponível publicamente.

Eles são disponibilizados com recortes de cor/raça, sexo/gênero, classe e região geográfica, para mostrar como a cultura do fracasso escolar perpetua as desigualdades e ameaça o direito à educação principalmente de crianças e adolescentes em situação vulnerável. Os dados estão publicados no site da estratégia Trajetórias de Sucesso Escolar.

Parceiros: UNICEF e Instituto Claro

Estratégias mobilizadas: Pesquisas científicas aplicadas


Parecer técnico da Política Nacional de Alfabetização – PNA

Análise minuciosa da PNA feita por especialistas do Cenpec a pedido do Movimento pela Base, com o objetivo de entender se essa política é compatível com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em implementação desde 2018 e referência obrigatória para os currículos das redes públicas e privadas.

Parceiros: Movimento pela Base (MPB)

Estratégias mobilizadas: Avaliação de projetos, programas e políticas públicas


Veja também