Ecoa Formação: diálogos sobre educação pública

-

Ecoa Formação: diálogos sobre educação pública

O ciclo de debates on-line acontece todas as quartas-feiras de outubro com pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento que são referências na educação
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Com o objetivo de apresentar um panorama da educação escolar em tempos de pandemia e discutir o seu futuro, o Programa Ecoa Formação promove, a partir do dia 6/10, o ciclo de diálogos Educação pública no Brasil: contexto atual e perspectivas para os próximos anos.

Os debates, abertos e on-line, trazem a cada semana um pesquisador referência nacional que atua no campo da educação, mas de diferentes especialidades. Como explica Solange Feitoza, coordenadora de pesquisa e avaliação do Cenpec:

Foto: arquivo pessoal

O que acontece hoje em dia na educação precisa ser visto de uma maneira relacional. Acho que seria um equívoco tentar compreender algo tão complexo como os efeitos da pandemia na educação por uma única perspectiva. Por isso, faz sentido convidar estudiosos de diferentes áreas do conhecimento para que possamos ter uma visão mais aprofundada sobre as questões centrais que estão colocadas para os educadores, para os agentes públicos e para a sociedade civil como um todo.”

Solange Feitoza

Os especialistas convidados

A estreia do ciclo acontece sob a ótica da Gestão Pública, com a participação de Alexandre Schneider, presidente do Instituto Singularidades e ex-secretário municipal de educação de São Paulo.

No dia 13 de outubro, é a vez do professor Leandro de Lajonquière, psicanalista e pesquisador da USP e da Universidade Paris 8, na França, dar luz às implicações da experiência escolar para o desenvolvimento das crianças.

No dia 20, Valter Silvério, professor doutor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e pesquisador CNPq, analisa a crise sanitária e a exclusão educacional no Brasil com o olhar das Ciências Sociais e ênfase nas desigualdades de gênero, de classe, de raça.

Por fim, no dia 27 de outubro, o cientista político Fernando Abrucio, professor e pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e articulista do jornal O Estado de São Paulo, debate a importância da criação do Sistema Nacional de Educação (SNE) para reconstruir as redes e as escolas brasileiras no pós-pandemia.

Todos os debates acontecem a partir das 17h e serão mediados por Romualdo Portela de Oliveira, diretor de pesquisa e avaliação do Cenpec. A transmissão acontece pelo canal do Centro de Formação (Cerpro) da Secretaria de Educação de Poços de Caldas no YouTube.

Clique aqui para se inscrever e assistir.


Dialogar para produzir conhecimento

O Programa Ecoa Formação – iniciativa do Instituto Alcoa com coordenação técnica do Cenpec – desenvolve assessoria técnica e formação com cerca de 700 gestores(as), coordenadores(as), educadores(as) e técnicos(as) das redes municipais de ensino de Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA).

Os trabalhos são desenvolvidos em quatro frentes: desenvolvimento de tecnologia, produção de conhecimento, assessoria técnica e formação.

Quando investimos na capacitação das equipes técnicas e das equipes escolares, qualificando o seu trabalho, estamos, de certa forma, contribuindo ou instrumentalizando a escola para que ela cumpra o seu papel no enfrentamento das desigualdades sociais.”

Solange Feitoza

O ciclo de debates é um ponto convergente de todos esses eixos, à medida que o seu tema e os assuntos tratados se relacionam com as demandas e os questionamentos trazidos pelas(os) educadoras(es) nas formações. Após a realização dos encontros, os especialistas convidados produzirão artigos que devem compor uma publicação a ser lançada ainda esse ano.

Para Solange, o mérito desses encontros está justamente em criar mais uma oportunidade para dialogar e refletir sobre as perspectivas que se colocam para a escola e para a organização das políticas públicas:

Tão interessante quanto a fala dos especialistas é a troca de percepções que acontece entre as(os) participantes do Programa. Por isso achamos importante, sempre que possível, promover encontros em que as três redes de ensino do Ecoa Formação podem estar juntas, pois são três territórios distintos que observam o mesmo objeto por diferentes perspectivas. Nós imprimimos nas nossas ações determinada qualidade de trabalho formativo que considera como necessária a diversidade e a pluralidade – e isso também tem sido um fator singular do Programa Ecoa Formação.”

Solange Feitoza

Saiba mais sobre o Programa Ecoa Formação


Veja também