Ecoa Formação: atuação sistêmica contra as desigualdades educacionais

-

Ecoa Formação: atuação sistêmica contra as desigualdades educacionais

Conheça os números, a estrutura, os aprendizados e as expectativas deste programa de formação e assessoria técnica que acontece em três redes municipais de ensino visando uma educação escolar mais equitativa
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Em um ano em que a pandemia ainda imperou e trouxe muitos desafios para as redes de ensino de todo o país, os municípios de Juruti (PA), Poços de Caldas (MG) e São Luís (MA) puderam contar com o apoio do Programa Ecoa Formação para pensar estratégias e estruturar demandas relacionadas ao retorno às aulas presenciais. 

Fonte: Ecoa Formação

Iniciativa do Instituto Alcoa com coordenação técnica do Cenpec, o Programa Ecoa Formação acontece desde 2020 no atual formato e desenvolve assessoria técnica e formação com cerca de 700 gestoras(es), coordenadoras(es), educadoras(es) e técnicas(os) das três redes municipais de ensino.

Em 2021, a série de ações formativas teve uma alta adesão e participação ativa das(os) envolvidas(os), atingindo diretamente cerca de 1,8 mil beneficiários. 

Para Solange Feitoza, coordenadora de pesquisa e avaliação do Cenpec, os números traduzem uma conquista que ela acredita ser fundamental para o sucesso das ações: 

Foto: arquivo pessoal

Nesse contexto de pandemia, uma questão era estabelecer vínculo e uma constância de trabalho com as(os) educadoras(es). No balanço que realizamos na semana passada com as três redes de ensino, concluímos que, em pesem as adaptações necessárias à formação e assessoria no formato remoto, conseguimos unir esforços para superar as dificuldades e estabelecer vínculos profissionais e pessoais com as(os) participantes.”

Solange Feitoza

Monica Espadaro, gerente de projetos do Instituto Alcoa, faz um balanço positivo dessas ações realizadas ao longo do ano. Ela ressalta que, além de cumprir aquilo a que se propôs no começo de 2021, o Programa conseguiu atender as demandas locais que surgiram no meio do caminho: 

Foto do perfil de Monica Espadaro
Foto: reprodução

As secretarias precisaram de muito apoio, principalmente na questão do retorno às aulas presenciais, e o Programa contribuiu para que elas pudessem se estruturar para isso. Apesar de ter uma linha central de atuação, temos essa flexibilidade. Assim, o Programa consegue se adaptar às demandas específicas de cada rede, porque elas são muito distintas entre si. Tivemos grandes desafios, como conciliar agendas e driblar a questão do acesso à internet, já que atuamos em regiões onde a conectividade é precária. Com resiliência e aos poucos, fomos solucionando essas questões.” 

Monica Espadaro


Eixos de atuação

O Ecoa Formação atua junto às políticas públicas educacionais, com o objetivo de incidir sobre as causas das desigualdades educacionais a fim de garantir patamares superiores de qualidade de acesso, de permanência e de aprendizagem nas trajetórias escolares dos(as) estudantes.

Para tal, o Programa se estrutura em quatro eixos estratégicos:

  1. Formação em avaliação, língua portuguesa e matemática, buscando a construção de uma rede em espiral;
  2. Assessoria técnica para a implementação de políticas públicas;
  3. Criação de tecnologia educacional, com o intuito de disseminar dados educacionais;
  4. Produção e disseminação de conhecimento, de forma a articular teoria e prática.

Estes quatro eixos estruturam a proposta e se retroalimentam. Por exemplo, da formação e da assessoria técnica derivam temas e conteúdos que sistematizamos e publicamos, articulando o conhecimento acadêmico e o conhecimento prático, da experiência profissional vivenciada. 

Ou ainda, da convergência entre os eixos foi o ciclo de diálogos Educação pública no Brasil: contexto atual e perspectivas para os próximos anos, que aconteceu ao longo de outubro. Os assuntos tratados se relacionavam com as demandas e os questionamentos trazidos pelas(os) educadoras(es) nas formações.

Além disso, os especialistas convidados (Alexandre Schneider, Leandro de Lajonquière, Valter Silvério e Fernando Abrucio) escreveram artigos que farão parte de uma publicação on-line a ser lançada em fevereiro de 2022. Esses quatro eixos atendem a um objetivo: instrumentalizar e subsidiar os agentes públicos que atuam na educação para o enfrentamento das causas das desigualdades educacionais.

Solange Feitoza

O ciclo de debates surgiu de uma demanda da secretaria de Poços de Caldas, e tivemos a oportunidade de realizá-lo mais uma vez, apoiando também outras localidades. Os participantes valorizaram bastante esses diálogos, inclusive a própria equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação de Poços.”

Monica Espadaro

Saiba mais sobre o ciclo de debates do Programa Ecoa Formação


Expectativas para 2022

Outros produtos devem ser lançados no ano que vem. Um deles é uma publicação on-line com produções dos(as) próprios(as) educadores(as) participantes da formação sobre o seu percurso formativo profissional.

A publicação vem concretizar a ideia de que a formação não ocorre com pessoas passivas, mas sim, a partir da reflexão individual e coletiva dos educadores sobre as suas experiências pessoais e profissionais, a análise é apoiada em referências teóricas e contextualizadas com as políticas públicas que foram e vêm sendo implementadas. Esse exercício é que provoca os profissionais da educação, imersos no processo formativo do Ecoa, a aprofundar a análise crítica e reflexiva sobre as suas práticas, é aqui que queremos chegar, como explica Solange:

Apostamos também que, ao fazer registros sobre a sua prática, os(as) participantes reflitam sobre o seu processo de formação enquanto profissional, tanto para identificar avanços quanto gaps neste percurso. A autorreflexão as(os) convida a pensar os seus próximos passos – e, assim, se mobilizar para mudanças.”

Solange Feitoza

Outro produto bastante esperado são os painéis dinâmicos com dados educacionais. Essa ferramenta deve trazer um conjunto de dados com visualizações em nível nacional, estadual e municipal, identificando aspectos reveladores das desigualdades educacionais. 

Queremos disponibilizar esse painel aberto para que as secretarias usem esses dados pensando no seu projeto político-pedagógico, na sua formação diretamente com os alunos, etc. Ele estará disponível para todo o Brasil, mas teremos painéis específicos para as redes com as quais a gente trabalha (Juruti, São Luís e Poços de Caldas), com recortes de gênero, raça/cor, nível socioeconômico.”

Monica Espadaro

Saiba mais sobre o Programa Ecoa Formação


Veja também