Conheça os finalistas do 1º Prêmio de Aprendizagem Solidária

-

Conheça os finalistas do 1º Prêmio de Aprendizagem Solidária

Foram indicados 33 projetos de 14 estados de todas as regiões do Brasil, que serão agora avaliados pela Comissão Julgadora; a divulgação dos vencedores será no dia 26 de novembro
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Dos 223 projetos inscritos no 1º Prêmio de Aprendizagem Solidária – Experiências que transformam, 33 foram selecionados como finalistas. Os projetos, de 14 estados de todas as regiões do país, estão divididos nas quatro categorias do Prêmio, que abarcam da Educação Infantil ao Ensino Superior, além de Organizações da Sociedade Civil.

Veja abaixo os finalistas de cada categoria:


Categoria 1: Ensino Superior

Voluntariado Universitário Unicap – VOU
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco (Unicap)
Local: Recife – PE

Projeto de Extensão Rodas de Filosofia e Transculturalismo: uma filosofia “de negociação”

Instituição: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Local: Rio de Janeiro – RJ

Suricato – Educação Colaborativa
Instituição: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Local: Santa Maria – RS

Saúde Única em Periferias
Instituição: Universidade de São Paulo (USP)
Local: São Paulo – SP

Vestibulês – videoaulas das obras literárias do vestibular da UFPR
Instituição: Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Local: Curitiba – PR

Do Local ao Global – A educação contextualizada e o diálogo intercultural nas novas estratégias de internacionalização da extensão e da aprendizagem solidária INTEREURISLAND no PPGESA: uma referência para o programa SCHOLAS CHAIRS proposto pelo Papa Francisco
Instituição: Universidade do Estado da Bahia (Uneb)
Local: Salvador – BA

Itinerâncias Formativas: Práticas em contextos de aprendizagem solidária
Instituição: Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Local: Itabaiana – SE


Categoria 2: Educação Infantil e Ensino Fundamental – Anos iniciais

Tramas e Territórios: tecendo diálogos entre arte, cidade e escola
Instituição: EMEI Professor Alceu Maynard de Araújo
Local: São Paulo – SP

Valorizando a Herança Cultural
Instituição: Escola Básica Municipal Tancredo de Almeida Neves
Local: Indaial – SC

Territórios brincantes: revelando as múltiplas formas de ser criança no extremo sul – vivências com a infância guarani
Instituição: EMEI Professor José La Torre
Local: São Paulo – SP

Aluno Repórter – A Imprensa na Escola
Instituição: Escola Estadual de Ensino Fundamental do Rocha
Local: Bragança – PA

Projeto horta escolar, sementes do amanhã!
Instituição: Escola Municipal Paulo de Almeida Costa
Local: Porto dos Gaúchos – MT

Programa de Educação Financeira
Instituição: Escola Municipal Dr. Isidoro Boucault
Local: Mogi das Cruzes – SP

Produção de cartas para o Projeto Cartas Perdidas
Instituição: EMEF Ruth Nunes da Trindade
Local: São José dos Campos – SP

Projeto CooperAção
Instituição: Conselho Comunitário São Sebastião – CEI Canarinho
Local: Palhoça – SC


Categoria 3: Ensino Fundamental – Anos finais e Ensino Médio

Um país chamado Grajaú: cartografia afetiva do bairro, suas histórias, personagens, coletivos e organizações sociais
Instituição: EMEF Padre José Pegoraro
Local: São Paulo – SP

Curta a Praça
Instituição: Colégio Cruzeiro
Local: Rio de Janeiro – RJ

Nos Trilhos da Democracia
Instituição: Colégio Estadual Nelson Pereira Rebel
Local: Campos dos Goytacases – RJ

Nós cuidamos da Vila com o Vila Recicla
Instituição: Escola Municipalizada Santa Terezinha
Local: Petrópolis – RJ

JADes – Juntos Acabaremos com o Desperdício
Instituição: Escola Estadual Professor Sebastião e Oliveira Rocha
Local: São Carlos – SP

Sistema AGTEC de aprendizagem solidária
Instituição: EREM Aires Gama
Local: Flores – PE

Mundo do Trabalho
Instituição: CIEJA Francisco Hernani Alaverne Facundo Leite
Local: São Paulo – SP

14 Anos da Lei Maria da Penha
Instituição: Escola Estadual Garibaldina Fernandes Valadares
Local: Arinos – MG

Chuá Socioambiental
Instituição: Escola Municipal São José do Prata
Local: Almenara – MG

Categoria 4: Organizações da Sociedade Civil

Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (PAESPE)
Instituição: Empresa Júnior de Engenharia Química e Engenharia Ambiental (PROTEQ Jr.)
Local: Maceió – AL

Projeto Integrar
Instituição: Fundação Antonio Meneghetti
Local: São João do Polêsine – RS

Projeto Rimas em Movimento
Instituição: Associação Paranaense de Cultura (APC)
Local: Curitiba – PR

Horta Comunitária do Jardim Renascer
Instituição: Casa da Criança de Tapiratiba
Local: Tapiratiba – SP

Construindo e fortalecendo olhares
Instituição: Movimento Renovador Paulo VI
Local: Embu-Guaçu – SP

Ideias Incontidas – Ano V
Instituição: Associação EMCANTAR de Arte, Educação, Cultura e Meio Ambiente
Local: Uberlândia – MG

Projeto Construindo Pontes
Instituição: Grupo Primavera
Local: Campinas – SP

Turma Que Faz multiplicando nas ondas do rádio
Instituição: Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge
Local: Alto Paraíso de Goiás – GO

Encanto de Leitura
Instituição: Associação Amigos da Cultura e do Meio Ambiente – Taquaruçu “Canto das Artes”
Local: Palmas – TO


Representatividade geográfica e temática

Inicialmente, seriam escolhidos apenas seis finalistas em cada categoria, compondo uma lista de 24 projetos. Mas a qualidade dos inscritos e o critério de diversidade regional fizeram com que a Comissão Organizadora acabasse por flexibilizar esse número. Assim, foram selecionados 7 projetos finalistas na Categoria 1 (Ensino Superior), 8 na Categoria 2 (Educação Infantil e Ensino Fundamental – Anos iniciais) e 9 projetos na Categoria 3 (Ensino Fundamental – Anos finais e Ensino Médio) e 9 projetos na Categoria 4 (Organizações da Sociedade Civil).

“O trabalho da Comissão Organizadora foi justamente olhar com atenção para identificar as melhores propostas, a partir dos indicadores de análise propostos, com o cuidado de compor um repertório que fosse nacional e que melhor equacionasse a diversidade de atividades e de atuação no território. Por isso aumentamos o número de projetos finalistas, e ficamos muito felizes com o resultado. Nós passamos mais trabalho para a Comissão Julgadora, que ainda terá que escolher apenas três vencedores em cada categoria”, explica Katia Mori, doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, consultora da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária e membro da Comissão Organizadora do Prêmio.

Para Alexandre Isaac, coordenador de projetos do CENPEC Educação e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária, os projetos surpreenderam positivamente toda a Comissão Organizadora, por trazerem as características da aprendizagem solidária de forma bem integrada.

Foto: Divulgação/CENPEC Educação

Sabíamos que encontraríamos projetos bons, por conta do histórico das organizações sociais e das escolas em desenvolverem propostas que qualificam o currículo, que pensam o conhecimento de uma maneira interdisciplinar e que oferecem efetivas oportunidades de aprendizagem para crianças, adolescentes, jovens e adultos. Mas não achamos que os projetos teriam essa conexão viva com as demandas da realidade do território – que são, em sua grande maioria, de comunidades em situação de vulnerabilidade econômica, política, social e ambiental.”

Alexandre Isaac, coordenador de projetos do CENPEC Educação e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária

A diversidade de temática foi um dos principais pontos destacados pelos membros da Comissão Organizadora. Os projetos finalistas tratam de temas como inclusão, meio ambiente, preparação para o mundo do trabalho, ampliação de jornada, interculturalidade, educação financeira, entre outros. Alguns também propõem a articulação com outras instituições, comércio local e áreas, como a Saúde, e diferentes tipos de intervenção no território.

Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

A aprendizagem solidária ocorre quando você usa o conhecimento para fazer um mundo melhor, sendo o aluno o protagonista do diagnóstico e da solução desse problema, a partir da construção do conhecimento e da conexão entre disciplinas. É um conceito em construção – tão em construção que pode ser trabalhada de maneira diferente nos territórios e foi isso o que vimos aqui. Ela é uma forma de divulgar a educação integral na prática.”

Katia Mori, doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e consultora da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária

Entenda o conceito de aprendizagem solidária e onde essa metodologia surgiu


Conheça a Comissão Julgadora

Os finalistas serão agora avaliados por uma Comissão Julgadora, que selecionará os três vencedores em cada categoria. Conheça abaixo os(as) integrantes:

Convidados(as):

Maria Liduína de Oliveira e Silva: Docente do curso de Serviço Social e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais da Unifesp
Raphael Callou: Cientista político e diretor da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI) no Brasil
Ilma Maria Costa da Silva Oliveira: Psicóloga integrante do grupo gestor e coordenadora da área de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes do Instituto Aliança.
Macaé Evaristo: Mestre em educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, ex-secretária estadual de educação de Minas Gerais e ex-secretária de Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.
Rui Rodrigues Aguiar: Especialista em avaliação pela UnB e Planejamento Educacional pela UNESCO, gestor de Programas do UNICEF para os estados do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte e professor adjunto do Departamento de Estudos Especializados da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (FACED/UFC).
Marcus Aurélio de Carvalho: Coordenador executivo e pedagógico da ONG Unirr (União e Inclusão em Redes de Rádio) e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária.
Alexandre Schneider: Presidente do Instituto Singularidades e professor adjunto e pesquisador visitante na Universidade de Columbia em Nova York.
Anna Helena Altenfelder: Presidente do Conselho de Administração e Diretora Executiva do CENPEC Educação
Flávia Passos Cardillo: Economista e Grant Manager da Porticus, com experiência em organizações do terceiro setor, com foco em educação pública e primeira infância.

Membros da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária:

Kátia Gonçalves Mori: mestre e doutora em Educação e membro da Red Iberoamericana de aprendizaje servicio.
Sofia Carvalho: graduada em Serviço Social pelo Instituto Superior de Serviço Social do Porto – Portugal e cofundadora do Movimento Futuro
Isabella Alchorne: advogada criminalista graduada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e cofundadora do Movimento Futuro.
Alexandre Isaac: assessor de Relações Institucionais do CENPEC Educação
Nazira Arbache: assessora de Relações Institucionais do CENPEC Educação


Premiação e próximos passos

Os prêmios, para todas as categorias, são:

  • 1º lugar – R$ 15 mil + participação no Seminário Internacional de Aprendizagem Solidária 2021, em Buenos Aires
  • 2º lugar – R$ 7 mil + curso a distância sobre Aprendizagem Solidária
  • 3º lugar – R$ 5 mil + curso a distância sobre Aprendizagem Solidária

Os vencedores serão divulgados no dia 26 de novembro. A critério da Comissão Julgadora do Prêmio, poderão ser atribuídas menções honrosas nas quatro categorias. A cerimônia de premiação virtual deve ocorrer no dia 05 de dezembro, durante o 2º Seminário Internacional de Aprendizagem Solidária no Brasil.

Confira aqui a programação e veja como participar do Seminário

Independentemente de quem ganhar, o fato de participar deste Prêmio já traz para a instituição um reconhecimento e mostra essa vontade de fazer parte de uma rede maior, estar aberta a formação e querer inspirar o desenvolvimento de seus docentes e profissionais. Nossos parabéns a todos os que participaram! Que eles possam continuar realizando esses projetos inspiradores e replicáveis”

Katia Mori, doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e consultora da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária

O 1º Prêmio Aprendizagem Solidária – Experiências que transformam é uma iniciativa da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS), com coordenação técnica do CENPEC Educação, do Instituto Singularidades, do Movimento Futuro, da Organização dos Estados Iberoamericanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) no Brasil e da Mori Educação e apoio do Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS).


Saiba mais

Arte: Karine Oliveira