Prêmio Aprendizagem Solidária tem 223 inscritos de todas as regiões do Brasil

-

Prêmio Aprendizagem Solidária tem 223 inscritos de todas as regiões do Brasil

Os 24 projetos finalistas serão anunciados no dia 12 de novembro, e os 12 vencedores no dia 26 de novembro; veja o balanço das inscrições
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

As inscrições para o 1º Prêmio Aprendizagem Solidária – Experiências que Transformam foram encerradas no último dia 15/10 e contabilizaram um total de 223 projetos, espalhados em 136 municípios de 25 estados brasileiros (não houve inscrição de projetos do Amapá e Roraima). De acordo com a coordenação do Prêmio, foi um sucesso.

“Na verdade, tivemos cerca de 300 inscrições, mas apenas 223 válidas. Do ponto de vista da disseminação da proposta, esse número precisa ser considerado, porque significa que essas 300 instituições ou organizações se identificaram de alguma forma com a ideia da aprendizagem solidária. E nosso objetivo, primeiramente, era mapear esse cenário das diferentes experiências e projetos que tinham alguma convergência com a aprendizagem solidária – então foi muito exitoso”, explica Alexandre Isaac, coordenador de projetos do CENPEC Educação e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária.

O número é ainda mais expressivo, tendo superado as expectativas da organização, se considerado o atual cenário de pandemia que afeta a educação brasileira.

Imagem de Alexandre Isaac, coordenador de projetos do CENPEC Educação e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária.
Imagem: Arquivo pessoal.

Chama-me atenção a resiliência e a capacidade das organizações da sociedade civil e das instituições de ensino de dar respostas, na perspectiva do desenvolvimento integral das crianças e dos adolescentes e da aprendizagem à serviço de uma transformação social – ainda que em um cenário de adversidade

Alexandre Isaac, coordenador de projetos do CENPEC Educação e membro da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária

Balanço das inscrições

O 1º Prêmio Aprendizagem Solidária – Experiências que Transformam foi aberto para escolas, instituições de ensino superior e organizações da sociedade civil de todo o Brasil que tinham experiências ou projetos de aprendizagem solidária em andamento ou que já tinham sido concluídas, desde que realizadas entre 2019 e 2020.

Os projetos inscritos estão distribuídos da seguinte forma pelas quatro categorias da premiação:

Categoria 1: Instituições de Ensino Superior
14 projetos inscritos, localizados em 11 municípios diferentes em 8 estados (BA, PE, PR, RJ, RS, SC, SE e SP)

Categoria 2: Instituições de Educação Básica I
55 projetos inscritos, localizados em 39 municípios diferentes em 15 estados (AC, AM, BA, MA, MG, MT, PA, PE, PR, RJ, RO, RS, SC, SP e TO)

Categoria 3: Instituições de Educação Básica II
80 projetos inscritos, localizados em 55 municípios diferentes em 19 estados (SP, AC, AL, BA, CE, DF, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PR, RJ, RS, SC e SE)

Categoria 4: Organizações da Sociedade Civil
74 projetos inscritos, localizados em 57 municípios diferentes em 21 estados (AL, AM, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PE, PR, RJ, RN, RO, RS, SC, SE e SP)

O Prêmio é uma iniciativa da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS), com apoio do Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidário (CLAYSS) e coordenação técnica do CENPEC Educação, do Instituto Singularidades, do Movimento Futuro, da Organização dos Estados Ibero-Americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) no Brasil, da Mori Educação e do CLAYSS.


Próximos passos

Agora, os 223 projetos passarão por uma avaliação técnica feita pela Comissão Organizadora do Prêmio. Serão selecionados 24 projetos finalistas, seis de cada uma das quatro categorias, que serão anunciados no dia 12 de novembro.

Os projetos serão avaliados conforme os princípios da pedagogia da Aprendizagem Solidária apontados no Guia para o desenvolvimento de projetos de aprendizagem solidária – edição brasileira.

Imagem de Katia Mori, doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e consultora da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária.
Imagem: Arquivo pessoal.

No processo de avaliação, vamos ter uma leitura especial sobre diferentes elementos: se os objetivos são claros e atuais sobre as causas propostas, se há articulação das atividades com o currículo e com o território, se o projeto é relevante para a comunidade e se ela participa da construção do mesmo – já que a ideia é trabalhar justamente a força da colaboração e dos trabalhos em rede. Também vamos olhar para os resultados, se eles estão dentro do contexto e se correspondem aos objetivos propostos

Katia Mori, doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e consultora da Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária

Dos finalistas, serão selecionados apenas três vencedores em cada categoria, após uma avaliação pela Comissão Julgadora de convidados(as) e especialistas. Os prêmios, para todas as categorias, são:

1º lugar – R$ 15 mil + participação no Seminário Internacional de Aprendizagem Solidária 2021, em Buenos Aires
2º lugar – R$ 7 mil + curso a distância
3º lugar – R$ 5 mil + curso a distância

Os vencedores serão divulgados no dia 26 de novembro. A critério da Comissão Julgadora do Prêmio, poderão ser atribuídas menções honrosas nas quatro categorias. A cerimônia de premiação virtual deve ocorrer no dia 05 de dezembro.

Entenda mais sobre o Prêmio Aprendizagem Solidária


Veja também