Informar é o caminho mais seguro

-

Informar é o caminho mais seguro

Confira as dicas e os materiais do Portal Internet Segura para instruir crianças e adolescentes sobre os cuidados na hora de navegar na rede
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

O ano passado bateu o recorde de denúncias anônimas de páginas de internet com pornografia infantil: foram 98.224 registros. O dado é da Safernet Brasil, organização não governamental que promove a defesa dos Direitos Humanos na Internet no Brasil e faz essa medição desde 2006. O número é mais do que o dobro das páginas reportadas pela mesma razão em 2019.

Neste ano, só entre janeiro e abril, já foram denunciadas quase 16 mil páginas relacionadas à pornografia infantil – um crescimento de 33,45% nas denúncias em relação ao mesmo período do ano passado. Dessas, 7.248 foram removidas por indício de crime.

Infelizmente, esse não é o único perigo que crianças e adolescentes estão sujeitos quando navegam na internet. Muitas vezes elas se deparam com injúrias raciais, cyberbullying, violação de privacidade, exposição de dados privados etc. Como explicar todos esses perigos do mundo virtual para crianças e adolescentes? 

Foi pensando nesse desafio que o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) idealizou o Portal Internet Segura, criado com a proposta de reunir cartilhas e guias que trazem informações e dicas sobre como utilizar a internet com segurança. 

Clique aqui para conhecer o Portal Internet Segura

Capa: reprodução

Os conteúdos disponibilizados no portal estão separados e direcionados para diferentes públicos: crianças, adolescentes, pais e educadores, idosos, técnicos e público geral. 

O guia para crianças Internet Segura – divirta-se e aprenda a usar a internet de forma segura explica de forma direta e com linguagem coloquial conceitos como cyberbullying, corrente e boato, e traz informações e dicas de como proteger a privacidade, tomar cuidado com mensagens e solicitação de amizade de estranhos nas redes sociais, evitar plágios na internet e respeitar os outros e os limites de idade dos conteúdos. 

Fonte: Portal Internet Segura

Há também um teste para que a criança veja se está fazendo uso excessivo da internet e outras atividades, como caça-palavra, dominó, ligue os pontos, jogos dos sete erros e jogo da memória, para explicar termos usados para designar códigos maliciosos (malware) que podem fazer danos no equipamento eletrônico.

Fonte: Portal Internet Segura

É possível baixar arquivos dos bonecos para imprimir e montar em formato tridimensional. Todas essas atividades, chamadas de Desafios, estão disponíveis e podem ser baixadas gratuitamente para impressão. 

Para orientar adolescentes, o caderno #FIKDIK mostra diversos diálogos ficcionais de aplicativo de conversa que relatam casos de ausência de privacidade ou exposição excessiva na internet, cyberbullying, preconceito, racismo e discriminação social, sexting e discurso de ódio. As mensagens são intercaladas com dicas de como proceder em cada uma dessas situações. 

Já o guia #Internet com responsa na sua sala de aula é voltado especificamente para educadores(as) e profissionais da educação, trazendo orientações sobre como instruir os(as) estudantes a interagir com mais segurança e ética no mundo virtual para tirar todo proveito das oportunidades e aprendizagens que a internet permite. 

Capa: reprodução

O documento trata dos cuidados com a exposição na rede, direitos e danos à imagem na internet e liberdade de expressão, e indica propostas de atividades que podem gerar discussões em sala de aula. 

Há uma versão desse guia voltada para as famílias e também uma área com informações específicas relacionadas à pandemia de Covid-19, que chama atenção para perigos e golpes aplicados para espalhar desinformação e notícias falsas. 

Informação e formação pelo direito à educação

O Portal Cenpec tem trabalhado diversos aspectos que envolvem a Educação na Pandemia ao longo do último ano.

Para apoiar educadores(as), gestores(as) e redes de ensino neste momento complexo, sistematizamos nossas produções sobre essa temática desde o início da pandemia no Brasil. Confira #EducacaoNaPandemia


Como denunciar na rede

O site traz ainda uma orientações para quem esteja passando por alguma situação de risco na rede ou conheça alguém que esteja e precise de ajuda. Há links para os canais de denúncia do Facebook e do Twitter e também do serviço de ajuda Helpline oferecido pela SaferNet Brasil. 

O portal traztambém indicação do aplicativo Proteja Brasil, iniciativa do UNICEF e da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça e Cidadania para facilitar a denúncia de casos de violação de direitos de crianças e adolescentes e outros públicos vulneráveis, integrado ao Disque 100.


Veja também