MG e MA sediam oficinas de aprendizagem solidária

-

MG e MA sediam oficinas de aprendizagem solidária

Encontros reuniram 120 profissionais da educação, da assistência social e de organizações sociais; em MG, foi lançado edital de reconhecimento de práticas educativas
Imprimir

Refletir sobre as práticas e construir outras possibilidades de ação para aqueles que pensam a educação para além dos muros das instituições foi o objetivo das oficinas de formação na metodologia de aprendizagem solidária realizadas no final do mês de novembro, nas cidades de Coronel Fabriciano, no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais; e de São Luís, no Maranhão.

Adotada por organizações e redes de ensino em mais de 40 países, a metodologia permite a crianças, adolescentes e jovens colocar em ação os conhecimentos curriculares aprendidos na escola, para atender às necessidades percebidas na realidade do território em que se inserem, a partir de ações de intervenção ativa e participativa na comunidade.

Saiba mais sobre a aprendizagem solidária


Ampliação de redes e práticas educativas

Promovidas pela Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS), pelo CENPEC Educação e pelo Centro Latino-Americano de Aprendizagem e Serviço Solidária (CLAYSS), os encontros reuniram, ao todo, cerca de 120 pessoas entre gestores educacionais, técnicos de secretarias de Educação e de Assistência Social e profissionais de organizações da sociedade civil (OSCs) interessados em aprofundar-se nos princípios político-pedagógicos e nas propostas metodológicas da aprendizagem solidária.

Alexandre Isaac

A proposta de realizar esses encontros no Maranhão e em Minas Gerais partiu de uma preocupação da RBAS em ampliar a discussão sobre a aprendizagem solidária e o mapeamento de iniciativas com potencial de convergência e de atuação conjunta para além do eixo Rio–São Paulo.”

Alexandre Isaac, assessor de Relações Institucionais do CENPEC Educação e um dos coordenadores da RBAS

Em Minas Gerais, cerca de 50 gestores, professores e técnicos de secretarias de educação da região do médio Vale do Rio Doce estiveram reunidos na manhã do dia 26/11, no Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste), parceiro na formação, ao lado do Movimento Futuro e do Instituto Novare.

Formação sobre aprendizagem solidária em Coronel Fabriciano (MG)
Formação sobre aprendizagem solidária em Coronel Fabriciano (MG). Foto: Reprodução.

Durante a formação, os participantes puderam refletir sobre as possibilidades da metodologia para a implementação de currículos alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e sobre os caminhos para implementar projetos de aprendizagem solidária em suas redes de ensino. Eles também receberem a edição brasileira do Guia para o desenvolvimento de projetos de aprendizagem solidária, um importante apoio pedagógico.

“As diversas ações promovidas junto às secretarias de Educação da região neste ano já têm fomentado o interesse e as práticas de aprendizagem solidária, de modo que a região do Vale do Rio Doce já se constitui como um polo da Rede Brasileira”, comenta Alexandre Isaac.

Em São Luís (MA), onde a oficina reuniu cerca de 70 profissionais da assistência social e representantes de OSCs da região na manhã dia 27/11, o desafio proposto aos participantes era outro: como fortalecer o diálogo das ações socioeducativas com territórios de atuação das organizações e dos profissionais da assistência?

Formação sobre aprendizagem solidária em São Luís (MA). Foto: Reprodução.
Formação sobre aprendizagem solidária em São Luís (MA). Foto: Reprodução.

A oficina maranhense foi realizada em parceria com a Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social de São Luís. Além de formadores do CENPEC Educação, do CLAYSS e do Movimento Futuro, estiveram presentes a secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andreia Carla Santana Everton Aluande; e o secretário-adjunto de Proteção Social, Luís Alfredo Santos Lima.


Aprendizagem solidária no Brasil

A Rede Brasileira de Aprendizagem Solidária (RBAS) foi lançada no início de 2018 para fortalecer essa perspectiva educativa no País. É coordenada pelo CENPEC Educação, em articulação com o CLAYSS e o Instituto Singularidades, e conta com o apoio da Rede Ibero-Americana de Aprendizagem-Serviço.

Desde então, tem realizado formações, mapeamentos e encontros para troca de experiências entre escolas, OSCs, fundações, institutos, movimentos sociais e outros atores que realizam projetos para o desenvolvimento integral crianças, adolescentes e jovens.

Em São Paulo, já realizou, diversas formações e o I Seminário Internacional de Aprendizagem Solidária no Brasil. Assista ao vídeo.

Com o sucesso das formações em São Luís e em Coronel Fabriciano, a RBAS pretende realizar oficinas em outras regiões do Brasil no ano de 2020. Também está à disposição para apoiar iniciativas, trocar experiências e acolher novos membros. Para informações, escreva para aprendizagemsolidariabr@gmail.com.


Saiba mais