Igualdade como direito, diferença como riqueza

-

Igualdade como direito, diferença como riqueza

Primeiro volume da coleção Parâmetros das Ações Socioeducativas (2007) traz uma síntese da abordagem sobre práticas socioeducativas voltadas a crianças e adolescentes no município de São Paulo
Imprimir

A área da assistência social tem como objetivo garantir o pertencimento social e vida digna a setores sociais vulneráveis, pela oferta de serviços, benefícios e programas. As ações socioeducativas perpassam toda a política da assistência social e devem oferecer diversas situações de aprendizagem para o desenvolvimento da autoconfiança e de capacidades dirigidas à construção de um novo projeto de sociedade.

Reprodução

Quando o foco dessa política se volta a crianças, adolescentes e jovens moradores de centros urbanos, é possível identificar as necessidades peculiares desses grupos, considerando não apenas sua vulnerabilidade social, mas também suas potencialidades, as especificidades do território que habitam e das organizações que os atendem.

Esta publicação apresenta alguns parâmetros para que os processos socioeducativos voltados ao público infantojuvenil contemplem o desenvolvimento de competências sociais, cognitivas e afetivas, pautadas por valores de inclusão e de protagonismo social.

Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo/CENPEC/Fundação Itaú Social. Igualdade como direito, diferença como riqueza. São Paulo, 2007. (Coleção Parâmetros socioeducativos: proteção social para crianças, adolescentes e jovens, Caderno 1: Síntese.)


Sobre a coleção

Parâmetros das Ações Socioeducativas: Proteção social para crianças, adolescentes e jovens

Fruto de um trabalho coletivo, este é um material de referência para práticas socioeducativas que garantam proteção de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
Composta por três volumes, a coleção formula metas de aprendizagem para as diferentes faixas etárias, assim como referências metodológicas e didáticas para promover, fortalecer ou redirecionar práticas em curso.
O material tem como público-alvo gestores e educadores de programas socioeducativos e foi desenvolvido pelo CENPEC em colaboração com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo (SMADS), em parceria com a Fundação Itaú Social, a Supervisão de Assistência Social das Subprefeituras (SAS), trabalhadores dos Núcleos Socioeducativos, ONGs e assessores externos, por meio de oficinas e leituras críticas.

Acesse os outros volumes da coleção:

V. 2: Conceitos e políticas sobre ações socioeducativas

V. 3: O trabalho socioeducativo com crianças e adolescentes