O trabalho socioeducativo com crianças e adolescentes

-

O trabalho socioeducativo com crianças e adolescentes

Terceiro volume da coleção Parâmetros das Ações Socioeducativas (2007) traz orientações didáticas e metodológicas e um repertório de atividades para crianças, adolescentes e jovens
Imprimir
Reprodução

O último volume da coleção Parâmetros das Ações Socioeducativas apresenta orientações sobre o funcionamento dos serviços socioeducativos, as metas de aprendizagem, as referências metodológicas e um repertório de atividades. Destina-se a educadores e gestores de programas voltados à faixa etária de 6 a 18 anos.

As propostas de atividades socioeducativas estão organizadas por idade (6 a 12 anos, 12 a 15 anos e 15 a 18) e por tema: identidade, família, meio ambiente, trabalho, saúde, jogos e brincadeiras, esportes, artes, manifestações populares e cartografia dos territórios.

SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE SÃO PAULO/CENPEC/FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL. Igualdade como direito, diferença como riqueza. São Paulo, 2007. Coleção Parâmetros socioeducativos: proteção social para crianças, adolescentes e jovens, Caderno 2: O trabalho socioeducativo com crianças e adolescentes de 6 a 18 anos.)


Sobre a coleção

Parâmetros das Ações Socioeducativas: Proteção social para crianças, adolescentes e jovens

Fruto de um trabalho coletivo, este é um material de referência para práticas socioeducativas que garantam proteção de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. 
Composta por três volumes, a coleção formula metas de aprendizagem para as diferentes faixas etárias, assim como referências metodológicas e didáticas para promover, fortalecer ou redirecionar práticas em curso. 
O material tem como público-alvo gestores e educadores de programas socioeducativos e foi desenvolvido pelo CENPEC em colaboração com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo (SMADS), em parceria com a Fundação Itaú Social, a Supervisão de Assistência Social das Subprefeituras (SAS), trabalhadores dos Núcleos Socioeducativos, ONGs e assessores externos, por meio de oficinas e leituras críticas.

Acesse os outros volumes da coleção:

V. 1: Igualdade como direito, diferença como riqueza

V. 2: Conceitos e políticas sobre ações socioeducativas