Doarte, exercício de empatia

-

Doarte, exercício de empatia

Projeto piloto oferecido aos adolescentes que participam da oficina de Pintura em Tela no centro de internação da Fundação CASA em Pirituba ganha versão em vídeo
Imprimir

Um projeto piloto que além de estreitar laços entre adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e profissionais do CENPEC Educação, proporcionou fruição da arte para uns e reconhecimento de valores para outros.

A miniexposição Doarte foi realizada no auditório do CENPEC Educação e constituiu-se de onze obras, pintura em tela, criadas pelos adolescentes do centro de internação da Fundação Casa Pirituba. Segundo Marília Rovaron, coordenadora do projeto Educação com Arte: Oficias Culturais, a proposta se deu de forma “singela”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é video_doarte_banner.png

Cada profissional do CENPEC Educação escolheu uma obra – a que mais o tenha tocado – e, em troca, escreveu uma cartinha que foi entregue ao adolescente que criou o quadro. A carta trazia as impressões que a obra causou e uma mensagem, para que o autor tenha dimensão do alcance do que fez e do que ele é capaz de fazer, para além do cumprimento da medida socioeducativa.”

Marília Rovaron

Vídeo

Uma equipe de vídeo da Diretoria de Difusão e Mídias do CENPEC Educação acompanhou a entrega das cartas aos adolescentes da Fundação Casa Pirituba. Em depoimento para o vídeo, o diretor da Fundação Casa Pirituba, Evaldo Rocha da Cruz, faz coro á fala da coordenadora Marília, ao destacar a importância da arte e da cultura como medida socioeducativa: “dentro das possibilidades que ele vive hoje, ele não tem que se preocupar com o que a vida fez com ele e sim o que ele faz com o que a vida fez com ele”, comenta o diretor.

O projeto Doarte estabeleceu uma ponte para além dos muros das duas instituições – CENPEC Educação e Fundação Casa. O vídeo sobre o projeto chega mais próximo ainda dos meninos, ouve a voz, sente a presença, identifica expressões e particularidades tão difíceis de serem percebidas quando não se estabelece uma convivência.