Educação com Arte: Oficinas Culturais

-

Educação com Arte: Oficinas Culturais

Imprimir

Parceiro investidor

Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (Casa).

Abrangência

Municípios de São Paulo, Franco da Rocha, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e Sorocaba, todos no estado de São Paulo.

Público

Adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa na Fundação Casa.

Produtos

Educação com Arte: Oficinas Culturais é um projeto de garantia de acesso à experiência cultural e artística para adolescentes e jovens que cumprem medida de privação de liberdade nos Centros de Internação (CIs) da Fundação Casa, por meio de ações socioculturais (oficinas, eventos e workshops) articuladas ao projeto político-pedagógico institucional. Para tanto, cabe ao CENPEC – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária – construir as metodologias formativas e realizar os encontros de formação com os arte-educadores para reflexão, planejamento, registro e supervisão da prática, com a presença de especialistas.

► Documentário

As oficinas do Educação com Arte exploram diversas linguagens, como Artes da Palavra (literatura periférica e rimas), Artes do Corpo (dança de rua e capoeira), Artes do Som (musicalização, cultura popular), Artes Visuais (desenho, escultura, grafite, história em quadrinhos, pintura em tela) e Artes Cênicas (teatro). Além disso, trabalham aspectos de autoria, identidade, valorização do potencial criativo e elevação da autoestima dos adolescentes e contribuem para o desenvolvimento de uma consciência crítica, a incorporação de novos valores e o rompimento da cultura da violência.

No documentário Meninos de palavra, é possível assistir a algumas dessas oficinas e ouvir reflexões de especialistas sobre o trabalho desenvolvido pelos arte-educadores. Lançado em 2017, o documentário tem duas partes e foi realizado em parceria com a Plataforma do Letramento.

► Publicação

A publicação A voz dos meninos é resultado de um estudo baseado em uma amostra de adolescentes participantes das oficinas. Mostra a visão de mundo, os desejos e as incertezas vividas por esses adolescentes em privação de liberdade. O levantamento aborda também temas como família, escola, trabalho, identidade (quem eu sou e quem eu posso ser), delito/redenção e religião. Foram chamados atores sociais de diversos segmentos com o objetivo de comentar os discursos produzidos por esses jovens.

A publicação é voltada a educadores, profissionais envolvidos no trabalho direto com adolescentes em privação de liberdade, segmentos que trabalham com políticas e ações sociais e pesquisadores com interesse em desenvolver a metodologia adotada no estudo. A voz dos meninos vem acompanhada de um DVD e busca subsidiar a elaboração de estratégias para a condução do projeto e, ainda, contribuir para a discussão e reflexão sobre os destinos da juventude na Grande São Paulo.

Com uma tiragem de 2 mil exemplares, a obra foi distribuída em instituições de ensino, para profissionais da Fundação Casa e em organizações da sociedade civil (OSCs) que trabalham com adolescentes e jovens, entre outros atores.

►Destaque

Mais de cem pessoas, entre educadores, funcionários da Fundação Casa e interessados no tema acompanharam o evento de lançamento de A voz dos meninos, ocorrido em 30 de maio de 2014, no auditório da Biblioteca Alceu Amoroso Lima, em São Paulo. O encontro contou com a participação de Fernando Lefèvre, professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador da metodologia do estudo que originou a publicação.