Nona edição do Cadernos CENPEc debate educação e equidade racial

-

Educação e equidade racial

CADERNOS CENPEC. Educação e equidade racial, São Paulo, v. 9, n. 2, 2019
Imprimir

A nona edição dos Cadernos Cenpec já está à disposição de pesquisadores, professores e interessados na área de educação. O especial foca na Educação e Equidade Racial e foi organizado pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC Educação), em parceria com o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT) e a Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN), instituições comprometidas com a equidade racial e de gênero.

Clique aqui para acessar os Cadernos CENPEC v. 9, n. 1 (2019)

CADERNOS CENPEC. Formação de professores, São Paulo, v. 9, n. 1, 2019. Disponível em: <http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/issue/view/27>. Acesso em: 29 jul. 2019.

O caderno reúne oito artigos, uma resenha e uma nota de leitura. A temática da equidade racial é central para o enfrentamento das desigualdades educacionais no País e para a promoção do direito à educação de qualidade para todos e todas.

Intitulado A educação das relações étnicoraciais na formação inicial: um diálogo necessário no combate ao racismo, o primeiro artigo é escrito pelas educadoras mineiras Santuza Amorim da Silva e Flávia Paola Félix Meira. O estudo propõe um diálogo com as pesquisas, dissertações e teses, identificando a temática da educação das relações étnico-raciais na formação inicial, especificamente nos cursos de Pedagogia, tendo como base legal a implementação da lei 10.639/2003.

Resultado de uma pesquisa de mestrado realizada com estudantes autodeclarados negros ingressantes na Universidade Federal de São Carlos por meio de um programa de ações afirmativas de reserva de vagas, o segundo artigo é de autoria de Juliana Augusta Nonato de Oliveira e Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva.

Escrito pela intelectual Leila Luiza Gonzaga, o terceiro artigo “Os negros e as diferenças no mercado de trabalho da região metropolitana de São Paulo: considerações sobre o nível de escolaridade dos ocupados” traça um panorama histórico e social das condições de trabalho da população negra, desde o período colonial.

Intitulado Culinária afro-brasileira: um sabor possível na Educação de Jovens e Adultos, o estudo é redigido pelos autores Rute Ramos da Silva Costa, Debora Silva do Nascimento Lima, Giselle Maria da Silva, Tamiris Pereira Rizzo e Thatiana de Jesus Pereira Pinto. O artigo relacionou estudantes de
uma escola municipal de Macaé e suas características socioeconômicas e alimentares, e apresentou as oficinas de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) direcionadas a esse público.

Qual é o lugar que os temas afro-brasileiros e/ou africanos têm ocupado no campo da produção de conhecimentos científicos? É o questionamento que guia o artigo Reflexões em torno da produção de conhecimentos científicos sobre temas afro-brasileiros e/ou africanos, escrito por Vanessa Gomes de Castro.

A nona edição dos Cadernos CENPEC ainda inclui os artigos O projeto de “Africanidade global” para uma escrita da história da diáspora africana, de Ana Cristina Juvenal da Cruz.

Redigido pelas intelectuais Márcia Cristina Américo e Luiz Marcos de França Dias, o artigo Conhecimentos tradicionais quilombolas: reflexões críticas em defesa da vida coletiva destrincha saberes e conhecimentos das comunidades tradicionais quilombolas do Vale do Ribeira (SP).

O estudo Invisibilidade dos negros em “Reflexões sobre Little Rock”, de Hannah Arendt: outra história na educação, elaborado por Carlos Eduardo Gomes Nascimento, problematiza a obra de Hannah Arendt sobre o episódio da menina negra hostilizada ao frequentar um colégio de maioria branca.

Técnico de projetos do CENPEC Educação, Esdras Soares da Silva assina a resenha sobre o livro O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação, de Nilma Lino Gomes, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de São Paulo e consultora em projetos do CENPEC Educação, Regina Estima indica o livro Quando me descobri negra, da autora Bianca Santana, para a seção notas de leitura. A obra de Santana, publicada pela Sesi Editora, em 2015, é ilustrada por Mateu Velasco.

Cadernos CENPEC

Criada em 2006, a revista Cadernos CENPEC é destinada a pesquisadores e educadores, gestores e atores da sociedade civil organizada em favor da educação pública. Sua frequência é bianual. 

Em 2011, a revista passou a adotar o sistema de revisão por pares e tornou-se uma publicação on-line, com livre acesso, circulação e discussão de trabalhos publicados. 

O objetivo dos Cadernos CENPEC é fomentar a articulação entre ação educativa e pesquisa, por meio do debate de questões teóricas, resultados de estudos empíricos, bem como de princípios que orientem metodologias de intervenção na realidade educacional, no campo das políticas públicas, de programas ou de práticas educativas.