Enem 2020 e a garantia de acesso às universidades brasileiras

-

Enem 2020 e a garantia de acesso às universidades brasileiras

Em entrevista ao jornal Estadão, Mônica Gardelli Franco, diretora-executiva do CENPEC Educação, fala sobre os desafios de tornar o Enem 2020 digital.
Imprimir

Nesta quarta-feira (3), o ministro Abraham Weintraub concedeu coletiva de imprensa na sede do Ministério da Educação (MEC) para comunicar mudanças do Enem em 2020. Além de Weintraub, esteve presente o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes.

O ministro anunciou mudanças na aplicação da prova, que passa a incluir a categoria digital a partir do próximo ano. O projeto piloto vai atingir cerca de 50 mil candidatos (1%) em 15 capitais brasileiras em 2020. O MEC projeta a ampliação deste número até 2026, quando a prova impressa deverá ser extinta.

A prova do Enem terá, portanto, três modalidades – a regular, a digital e a reaplicação, esta última destinada a candidatos prejudicados por problemas logísticos e de infraestrutura na realização da prova digital.

Igualdade de condições

Em entrevista ao Estadão, Mônica Gardelli Franco, diretora-executiva do CENPEC Educação, explica que o governo precisa garantir a igualdade de condições para que todos façam a prova de forma digital, uma vez que muitas escolas ainda não disponibilizam computador ou internet para os alunos.

Mônica Gardelli Franco na biblioteca do CENPEC Educação.
Foto: Acervo CENPEC Educação.

Segundo dados divulgados pelo TIC Educação, 47% dos alunos têm acesso a computadores e internet nas bibliotecas ou salas de estudo das escolas. Os alunos que utilizam essas ferramentas em sala de aula equivalem a 55% dos estudantes brasileiros.

“O Enem não mede apenas o desempenho das escolas. É um exame que garante o acesso à universidade. Por isso, é fundamental garantir a equidade de condições. Não podemos prejudicar os mais vulneráveis e menos assistidos. O governo precisa dizer como pretende garantir a igualdade”, afirmou Franco à reportagem.

Leia a reportagem na íntegra

Saiba mais