A escola, a metrópole e a vizinhança vulnerável

-

A escola, a metrópole e a vizinhança vulnerável

Pesquisa Educação em territórios vulneráveis
Imprimir

Este artigo apresenta resultados da pesquisa Educação em territórios vulneráveis, cujo objetivo geral foi explorar a hipótese do efeito de território sobre as oportunidades educacionais.

Seus objetivos específicos consistiram em apreender se e como desigualdades nos níveis de vulnerabilidade social da vizinhança da escola impactam a oferta educacional que ali se realiza e, por meio dela, o desempenho dos estudantes.

A investigação articula procedimentos metodológicos de natureza quantitativa e qualitativa, tendo como campo uma subprefeitura da região leste do município de São Paulo.

A análise dos dados mostra que, quanto maiores os níveis de vulnerabilidade social do entorno do estabelecimento de ensino, mais limitada tende a ser a qualidade das oportunidades educacionais por ele oferecidas.

O estudo mostra também que o efeito negativo do território vulnerável sobre a escola se exerce por meio de cinco mecanismos articulados:
•  isolamento da escola no território;
•  oferta reduzida de matrícula de educação infantil;
•  concentração e segregação da população escolar em estabelecimentos de ensino nele localizados;
•  posição de desvantagem de suas escolas no quase mercado escolar oculto;
•  dificuldades, dada essa posição de desvantagem, de apresentarem as condições necessárias para garantir o funcionamento escolar.

ERNICA, Mauricio; BATISTA, Antônio. A escola, a metrópole e a vizinhança vulnerável. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas, v. 42, n. 146, p. 640-666, maio/ago. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742012000200016&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 9 out. 2017.

Clique aqui para ler o artigo.


Este artigo é um dos produtos da pesquisa Educação em territórios vulneráveis
Período de realização: 2009 a 2012
Parceiros: Fundação Tide Setubal, Fundação Itaú Social e Fapesp 

Ementa:
O objetivo geral desta pesquisa foi explorar a hipótese do efeito de território sobre as oportunidades educacionais. Seus objetivos específicos consistiram em apreender se e como desigualdades nos níveis de vulnerabilidade social da vizinhança da escola impactam a oferta educacional que ali se realiza e, por meio dela, o desempenho dos estudantes. A investigação conjugou procedimentos metodológicos de natureza quantitativa e qualitativa, tendo como campo uma subprefeitura da região leste do município de São Paulo (SP).

A análise dos dados mostra que, quanto maiores os níveis de vulnerabilidade social do entorno do estabelecimento de ensino, mais limitada tende a ser a qualidade das oportunidades educacionais por ele oferecidas. Mostra também que o efeito negativo do território vulnerável sobre a escola se exerce por meio de cinco mecanismos articulados: isolamento da escola no território; reduzida oferta de matrícula na Educação Infantil; concentração e segregação de sua população escolar em estabelecimentos de ensino nele localizados; mecanismos de interdependência competitiva entre escolas; e dificuldades, dada essa posição de desvantagem, para garantir o funcionamento do modelo institucional que orienta a organização escolar.