Pense Grande Digital: formação sobre empreendedorismo social para jovens da periferia

-

Pense Grande Digital: formação sobre empreendedorismo social para jovens da periferia

Formatada como um jogo em aplicativo, a formação gratuita apresenta ferramentas e auxilia os jovens a desenvolver projetos de negócio social, além de valorizar seu próprio potencial
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

Até o dia 18 de agosto, jovens de 15 a 29 anos de todo o país interessados em criar seu próprio negócio podem se inscrever na formação on-line fornecida no aplicativo Pense Grande Digital.

A formação, realizada a distância e totalmente gratuita, tem carga horária de 80 horas e busca fomentar nos jovens a cultura empreendedora de impacto social – com a utilização de tecnologia – por meio do reconhecimento dos seus próprios talentos e habilidades. Quem completa toda a formação, realizada em plataforma gamificada e interativa, recebe um certificado.

Fotografia de Claudiana Cabral, técnica do CENPEC Educação responsável pelo projeto. Há livros atrás dela.

O Pense Grande é muito mais que um projeto de empreendedorismo social. É um projeto que busca valorizar esse jovem e o seu potencial – e não um potencial para o futuro, mas do presente. Os jovens são criativos e capazes de desenvolver projetos. Nossa função pedagógica é fazer com que eles se reconheçam como tal

Claudiana Cabral, técnica do CENPEC Educação responsável pelo projeto

A formação pelo app Pense Grande Digital é uma iniciativa da Fundação Telefônica Vivo com coordenação técnica do CENPEC Educação, e está disponível nas lojas Apple Store e Google Play.


Clique aqui para baixar gratuitamente o app Pense Grande Digital


Jornada gamificada até o topo: como funciona

Tela do aplicativo Pense Grande Digital

A formação leva de 13 a 16 semanas e acontece como um jogo: quem baixa o aplicativo e se inscreve é convidado a embarcar em uma expedição rumo ao topo da montanha mais alta do Brasil, o Pico da Neblina (AM). Ao longo da jornada, o jovem passa por 12 fases, acumulando pontos, medalhas e premiações.

Um personagem de apoio conduz os participantes ao longo da caminhada empreendedora. Juca, o guia da expedição, apresenta os conteúdos e fornece dicas complementares.

Cada uma das fases que simbolizam as etapas do percurso até o topo, na verdade, trata de assuntos referentes à criação de um negócio e propõe reflexões sobre si próprio e o seu projeto de vida.

Assim, os jovens começam descobrindo os seus talentos pessoais e reconhecendo suas habilidades e competências; vão tomando conhecimento sobre a cultura hacker e maker e sobre as etapas que envolvem a criação de um negócio (definição de valor, composição de equipe de trabalho, comunicação com público-alvo por meio de marketing digital etc) e terminam com a elaboração de um projeto de empreendedorismo social de impacto social em sua comunidade.

“É admirável a forma como jovens periféricos respondem aos desafios da vida e sabemos que, para esse grupo, os desafios são muitos. Eles são transformadores e criativos. O Pense Grande Digital reconhecesse essa potência, e por isso se dedica a eles”, diz Claudiana.


A poeta Mel Duarte apresenta o Projeto Pense Grande

No final do percurso, os participantes publicam um vídeo, chamado de pitch – termo comum no mundo dos negócios que se refere a uma apresentação rápida do negócio ou produto, usada para convencer as pessoas a aderir à ideia.

“Nossa expectativa é apoiar 20 mil jovens este ano, colaborando com o desenvolvimento de suas ideias e projetos de empreendedorismo social e, sobretudo, enquanto educadores, aprendemos muito a criar novas formas de produzir conhecimento com esse grupo diverso e rico”, explica Claudiana.


Ninguém caminha sozinho: mediação de especialistas e rede social

Ao longo do percurso, há uma composição de jornada autoformativa com mediação personalizada para o grupo. Nela, mediadores com experiência em empreendedorismo social oferecem orientações, compartilham informações e reflexões, e acompanham o progresso dos cursistas. Esse é o grande diferencial da formação.

Muitos participantes ficam surpresos quando percebem que as publicações não são feitas por robôs. Temos um time de profissionais especializados, com experiência em empreendedorismo social, que fazem essa tutoria

Claudiana Cabral, técnica do CENPEC Educação responsável pelo projeto

O aplicativo também funciona como uma rede social, já que tem dois espaços virtuais para a interação entre os participantes: a linha do tempo e o chat. A ideia é possibilitar novas conexões e a troca de experiências entre os usuários.

Juca, personagem guia da expedição, apresenta os conteúdos formativos e fornece dicas complementares aos participantes

Muitas das tarefas que são realizadas durante a jornada devem ser compartilhadas nesses espaços. Em uma das atividades, os jovens são convidados a publicar um cartão de visita, para mostrar a comunidade onde moram. Na reta final, eles compartilham o negócio que pretendem empreender e pesquisam sobre as ideias dos outros participantes.

Dessa troca de experiências, surgem diversas possibilidades – da criação de uma comunidade de aprendizagem até uma possível sociedade no desenvolvimento do negócio.


Trajetória do Pense Grande

Este é o primeiro ano de formação massiva do Pense Grande Digital. O projeto piloto foi implementado pelo CENPEC Educação em 2019, que segue fazendo a mediação virtual no aplicativo.

O Pense Grande Digital foi desenvolvido a partir da metodologia utilizada nas formações presenciais do projeto Pense Grande, da Fundação Telefônica Vivo. Ela é baseada em três pilares: empreendedorismo social, tecnologia e comunidade. Desde quando começou, em 2013, o Pense Grande já envolveu mais de 50 mil jovens em todo o Brasil.


Veja também