Entrevista: Palavra de Criança (PI)

-

Entrevista: Palavra de Criança (PI)

Imprimir

O desafio de promover a inserção de todas as crianças na cultura letrada, na idade certa, tem pautado muitas políticas educacionais, nas diferentes regiões do Brasil, com o intuito de criar as condições adequadas para o desenvolvimento do ensino-aprendizagem da leitura, escrita e compreensão de textos, habilidades cada vez mais necessárias no mundo contemporâneo. Esse é o objetivo principal do Programa Palavra de Criança, realizado desde 2009 com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância/ United Nations Children’s Fund (UNICEF) em parceria com a Secretaria Estadual de Educação do Estado do Piauí (Seduc).

Tendo por meta consolidar a alfabetização dos alunos das redes municipais até o 3º ano do Ensino Fundamental, o programa promove a formação de coordenadores pedagógicos para monitorar os docentes e gestores no processo de aprendizado da língua escrita. Além disso, realiza a avaliação das habilidades de leitura e escrita adquiridas pelas crianças, a quem concede um certificado atestando o estágio de aprendizagem em que se encontram. Uma importante característica do Palavra de Criança é a valorização do papel da família no processo educativo, o que é evidenciado pelas ações de estímulo à participação dos pais e outros familiares na vida escolar das crianças.

O Programa, que se iniciou pelas prefeituras de Teresina (Piauí) e de Sobral (Ceará), foi ampliado, desde 2012, a 188 municípios do Piauí. Para falar mais sobre esta proposta e sobre o papel do coordenador pedagógico nela, a Plataforma do Letramento entrevistou Raimunda Alves Melo, doutora em Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI) e consultora do Programa Palavra de Criança em 25 municípios piauienses.

Plataforma do Letramento: Quais são os objetivos e a abrangência do Programa Palavra de Criança? 
Raimunda Alves Melo: O Programa Palavra de Criança, implantado no estado do Piauí em 2009, pelo Unicef, tem por objetivo qualificar as equipes das redes municipais de educação para a implementação das políticas de alfabetização e letramento, visando garantir o direito das crianças de serem alfabetizadas e letradas na idade certa. O Programa tem se consolidado por sua relevante contribuição para a alfabetização de milhares de crianças piauienses, espalhadas por 188 municípios do estado. 

PL: Quais são as principais linhas de ação do Programa e como ele repercute no cotidiano da escola, dos professores, estudantes e de seu entorno? 
RAM: O trabalho é realizado por meio da formação e do assessoramento aos coordenadores municipais de alfabetização, profissionais responsáveis pela articulação e implementação das ações propostas pelo programa no seu município. O Programa tem como principais eixos: organização da sala de aula, participação da família na vida escolar do aluno, formação dos diretores e coordenadores pedagógicos, e monitoramento das ações do plano de trabalho. 
No que diz respeito ao eixo “organização da sala de aula”, os coordenadores municipais são capacitados para fazer a formação continuada dos coordenadores pedagógicos e gestores escolares de seus municípios. O foco é a formação desses profissionais por serem eles que se encarregam de orientar os professores em relação ao trabalho com a literatura infantil, ao planejamento da ambientação da escola e das salas de aula, e ao estabelecimento de propostas pedagógicas que garantam a alfabetização e o letramento das crianças. Essa formação abrange estudos em três áreas da gestão: do ensino, da aprendizagem e das rotinas escolares. 

PL: De que forma o coordenador pode promover a inserção das crianças na cultura letrada? 
RAM: O coordenador pedagógico é o profissional que, na escola, tem o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem um processo de ensino e aprendizagem de qualidade. Sua principal frente de trabalho é a relação com a equipe docente. Por meio da formação, do acompanhamento e da reflexão sobre a prática de sala de aula, esse profissional garante a coerência da abordagem de cada educador com o projeto pedagógico da escola. Atua também no sentido de pesquisar e integrar as ações das escolas aos projetos culturais da comunidade, de modo a aproximar o ambiente escolar e os espaços dos quais as crianças participam além dos muros da instituição.

PL: Como é a atuação deste profissional no Programa Palavra de Criança? 
No Programa, o coordenador pedagógico é relevante na garantia de condições que assegurem a alfabetização e o letramento das crianças, pois ele é um orientador das práticas dos professores, estimulando-os a adotar estratégias metodológicas diversificadas para o desenvolvimento de habilidades de leitura e escrita. É ainda um mobilizador das famílias e da comunidade, bem como um articulador das condições físicas e materiais em que se desenvolvem os processos de ensino e aprendizagem. 
Em relação ao ciclo da alfabetização, cabe ao coordenador favorecer a inserção das crianças na cultura letrada por meio da articulação das seguintes ações: formação continuada e orientação dos professores; acesso e utilização das obras literárias; e conscientização das famílias para estímulo ao letramento desde os anos iniciais do Ensino Fundamental. 

PL: Como a formação oferecida pelo Programa pretende contribuir para que o coordenador pedagógico exerça bem seu papel? 
RAM: Ao ser selecionado ao cargo, o coordenador pedagógico recebe capacitação para identificar as diferentes demandas presentes nessa trama comunicativa e exercer seu papel com sucesso. Ao participar mensalmente dos encontros de formação continuada propostos pelo Programa Palavra de Criança, este profissional é preparado para discernir as diferentes instâncias pelas quais seu trabalho perpassa e atuar facilitando o desenvolvimento da escola, bem como os processos de ensino e aprendizagem, alfabetização e letramento dos educandos e de suas famílias. 

PL: De acordo com a formação oferecida no Programa, como o coordenador pedagógico atua na orientação do trabalho dos professores alfabetizadores em sala de aula? 
RAM: No que se refere às práticas de leitura e escrita,todo o trabalho é organizado com base em uma rotina de sala de aula, na qual as crianças participam de atividades que estimulam os três pilares de ensino da língua: leitura, escrita e comunicação oral. O coordenador pedagógico auxilia os professores na definição das rotinas semanais e na elaboração de sequências e projetos didáticos que permitam a exploração da leitura e da escrita diariamente. Em relação ao trabalho com a literatura infantil, fornece subsídios teóricos e práticos que estimulem os educadores a trabalhar com os diversos gêneros textuais. 
Como parte da gestão das rotinas escolares, o coordenador se articula com o gestor escolar para garantir um bom acervo de textos e livros, bem como a criação de ambientes propícios para a prática diária de leitura e escrita. Durante todo o ano, as crianças participam de forma sistemática de atividades permanentes como: rodas de leitura, visita a bibliotecas escolares ou públicas, atividades de leitura e escrita por meio da utilização de recursos tecnológicos, criação de murais e painéis na escola, projetos de contação de histórias, chás literários, projetos com gêneros literários, entre outras atividades que proporcionem o prazer da leitura e da escrita, contemplando o uso social destas. 

PL: Como o Programa Palavra de Criança estimula o envolvimento da família no letramento e na alfabetização dos estudantes? 
RAM: A participação da família na vida escolar do aluno é outro eixo importante do Programa. Para assegurá-la, o coordenador pedagógico atua no desenvolvimento de ações educativas e de articulação que visam integrar as famílias à vida escolar, para que elas garantam a frequência regular dos educandos e acompanhem suas atividades escolares. Por meio de encontros educativos mensais com as famílias, o coordenador pedagógico orienta a adoção de hábitos diários de contação de histórias para as crianças, empréstimos de títulos literários na biblioteca e estratégias de leitura em casa. 
Como forma de estímulo, os professores são orientados a planejar diariamente atividades envolvendo leitura, para que as crianças realizem em casa com os pais. O empréstimo diário de livros dos cantinhos de leitura, bem como as rodas de leitura no dia seguinte, têm sido importantes estratégias no estímulo à formação de alunos leitores, extensivas às famílias.

Assista ao vídeo que apresenta os objetivos e as práticas promovidas pelo Programa Palavra de Criança: