-

São Paulo: aulas da rede estadual terão menor duração

Mudanças previstas para 2020 têm como foco a melhora do estado na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb)
Imprimir

Conforme anunciado pelo governador João Dória (PSDB) na segunda-feira (06/05), as escolas da rede estadual paulista terão aulas de 45 minutos e não mais 50 minutos, como hoje.  Válida a partir de 2020, a redução vale para alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Além da redução do tempo de aula e para conciliar o aumento de seis para sete matérias, os alunos sairão 15 minutos mais tarde da escola. A mudança acomoda um novo projeto pedagógico com inclusão de disciplinas para desenvolver competências socioemocionais, o chamado Projeto de Vida, além de duas aulas do componente eletivas e de uma de tecnologia. 

Para Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna, parceiro em 600 escolas do estado com Projeto de Vida, a proposta é positiva. Segundo Dória, a mudança visa à melhora da posição de São Paulo na avaliação da rede estadual do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Desde 2013, o estado não alcança as metas estipuladas.

Materiais e formação

Sem previsão de contratações, as novas disciplinas serão administradas pelos professores que já estão na rede. Será oferecido, segundo o governador, formação – não remunerada – para lecionar e aumentar o aproveitamento do tempo em sala de aula.

Em entrevista a reportagem do jornal O Estado de São Paulo, Mônica Gardelli Franco, diretora-executiva do CENPEC Educação, afirmou que acredita que, se a Secretaria de Educação e as escolas auxiliarem o professor na sala de aula, a redução não comprometerá o trabalho pedagógico. “Boa parte da aula é consumida com atividades burocráticas, como a chamada dos alunos”, comenta.

Saiba mais

► Governo de SP propõe fracionar férias escolares de julho
► É preciso integrar a educação ao debate nacional