Qual o impacto da experiência das ocupações em estudantes e educadores?

-

Qual o impacto da experiência das ocupações em estudantes e educadores?

Em reportagem da Nova Escola, Anna Helena Altenfelder, superintendente do CENPEC Educação, comenta o impacto do processo em alunos e educadores
Imprimir

Por Elisângela da Silva

Confira a reportagem especial, produzida pela Nova Escola, sobre a resistência dos estudantes ao projeto de reorganização da rede estadual. Anna Helena Altenfelder, superintendente do CENPEC Educação, é uma das entrevistadas e comenta o impacto do processo em alunos e educadores. Confira no vídeo abaixo.

Desde 29 de setembro, a educação da rede do estado de São Paulo vive um impasse, iniciado pelo anúncio da reorganização e o consequente fechamento de estabelecimentos de ensino.

Em reação à medida, os estudantes se organizaram e ocuparam cerca de 200 escolas. A atitude mobilizou a opinião pública, que, em grande parte, ficou ao lado dos estudantes.

Depois de quase um mês de ocupações, os estudantes começaram a protestar também nas ruas. A reação da polícia foi violenta. Estudantes foram agredidos e presos.

Em uma reunião de emergência na secretaria, Fernando Padula, chefe de gabinete e braço direito do secretário de Educação, Herman Voorwald, falou em vencer a “guerra” contra os estudantes.

Essa declaração e seus desdobramentos levaram à demissão de Voorwald e à revogação da proposta de reorganização – mas o impasse ainda parece longe de ser resolvido. A Nova Escola conversou com estudantes, professores e especialistas para entender as principais dúvidas que ainda pairam sobre o assunto.


Com informações da Nova Escola