Programa Itaú Social UNICEF: conheça as 80 OSCs que continuam

-

Programa Itaú Social UNICEF: conheça as 80 OSCs que continuam

As organizações participarão da avaliação entre pares e ficam mais próximas de serem contempladas com a assessoria técnica e o fomento financeiro oferecidos pelo Programa
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe

O Programa Itaú Social UNICEF divulgou hoje (dia 23/04) as 80 organizações da sociedade civil (OSCs) que foram selecionadas para participar da 2ª etapa do processo de avaliação e seleção. 

Agora, as OSCs participam de uma avaliação entre pares. Nessa etapa, cada uma irá desempenhar o papel de avaliador de outra organização que atua em uma região brasileira diferente da sua. Como parte deste processo, uma formação sobre a avaliação entre pares será realizada no dia 3/5. As entrevistas entre as OSCs serão feitas no período de 10 a 21/5.

Confira aqui as OSCs selecionadas

As 80 OSCs foram selecionadas de um total de 687 organizações que concluíram o percurso formativo e participaram da 1ª etapa do processo de avaliação e seleção do Programa. Essas OSCs tiveram seus planos de intervenção avaliados por 138 profissionais de diferentes áreas do conhecimento, indicados pelos organizadores do Programa, a partir de diretrizes propostas pelos três eixos do Programa: desenvolvimento institucional; desenvolvimento integral de crianças e adolescentes; e articulação no território. 

Alguns dos(as) avaliadores(as) também desempenharam o papel de mediadores(as) durante o percurso formativo – caso de Bira Azevedo. Coordenador de Arte-Educação com licenciatura em Teatro, ele tem propriedade para falar sobre as diretrizes do Programa Itaú Social UNICEF, pois quando criança foi atendido por uma OSC participante do Prêmio Itaú-UNICEF (que deu origem ao Programa) e também já foi mestre de cerimônia e avaliador da premiação.

Responsável por 15 avaliações de OSCs do Nordeste, o educador conta como a sua trajetória e conhecimento foi importante para compreender como esse modelo de participação formativo tem ajudado ainda mais as organizações:

Foto: arquivo pessoal

Eu saí de dentro de um projeto que foi premiado e passei a ser um acompanhador e consultor, fortalecendo novas organizações premiadas como também auxiliando na aplicação, nas práticas e no desenvolvimento integral dos planos. Agora, como avaliador, vejo que a mudança para Programa propõe uma mudança de lógica tanto das suas diretrizes quanto do papel de quem avalia. Antes, o nosso papel era identificar entre os projetos quais tinham mais ‘excelência’, melhor desenvolvimento e que mais inspiravam. Agora, temos um processo de fortalecer as práticas buscando projetos que tenham a capacidade de reconhecer onde pode ser qualificado e potencializar a prática que já está sendo feita.”

Bira Azevedo

Para Thiago Cavalli, avaliador de 10 OSCs da região Norte e fundador da Casa do Rio, em Careiro (AM), algumas organizações fizeram o mergulho em seus territórios, histórias, instituições, metodologias e pedagogias, proposto pelo Programa, e trouxeram em seus planos de intervenção um olhar muito mais aprofundado para as realidades e para as dificuldades encontradas. Mas, ao identificar aquelas que ainda precisam trilhar uma trajetória nesse sentido, ele dá uma dica:

Uma parte das instituições ainda não conseguiu olhar para isso, para si mesmas; não conseguiu absorver o que o Programa está propondo com relação à diversidade, ao desenvolvimento territorial e institucional. Para elas, eu sugiro participar das próximas edições do Programa e do percurso formativo, e sempre que possível buscar o suporte das equipes disponíveis, requisitar mais informações, formações e orientações, pois ao final de todo o processo, esse aprendizado será avaliado.”

Thiago Cavalli

Saiba mais sobre a 1ª etapa de avaliação e seleção do Programa Itaú Social UNICEF  


Veja também