A suspensão do Prêmio Professores do Brasil

-

A suspensão do Prêmio Professores do Brasil

Para a diretora-executiva do CENPEC Educação, o cancelamento do certame em 2019 compromete temporariamente a valorização o professor. Expectativa é que premiação retorne em 2020
Imprimir

A 12ª edição do Prêmio Professores do Brasil foi cancelada pelo Ministério da Educação (MEC). Voltado a professores da educação básica que trabalham em escolas públicas, o Prêmio recebeu inscrições de interessados entre abril e maio/2019 e foi revogado no Diário Oficial da União da última terça-feira (27). No site oficial, o MEC publicou a seguinte nota oficial:

O Prêmio Professores do Brasil não será realizado em 2019. A iniciativa será reestruturada e ganhará um novo formato a partir de 2020. O intuito é fortalecer e divulgar as melhores práticas relacionadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ao PNE. O MEC trabalha para concluir o plano de ação, que abrigará um conjunto de programas para atender a formação e a valorização de professores, coordenadores pedagógicos e diretores das escolas de educação básica.

Valorização docente

A coordenação técnica do Prêmio Professores do Brasil cabe ao CENPEC Educação, responsável pela avaliação das práticas educativas inscritas pelos professores desde a primeira edição. Mônica Gardelli Franco, diretora-executiva da entidade, comentou a decisão do MEC:

O CENPEC Educação tem muito orgulho de estar envolvido nessa ação de tantos professores. Sabemos que cada professor mobilizado impacta, no mínimo, uma sala de aula com 25 a 30 alunos.”

Mônica Gardelli Franco

Segundo a diretora-executiva, o Professores do Brasil está associado à valorização da profissão de professor e à difusão de suas experiências e práticas pedagógicas no Brasil e no mundo. “O professor quase nunca acha que o que ele faz é, de fato, interessante, porque normalmente trabalha sozinho na sala de aula e tem dificuldade de ter seu trabalho avaliado por seus pares”, avalia.

Prejuízos e perspectivas

Com o cancelamento, o Brasil acaba por afastar professores de eventos internacionais, como por exemplo, o Global Teacher Prize, premiação reconhecida como o “Nobel da Educação”.

Além disso, ainda segundo Mônica Gardelli Franco, o prejuízo de interromper um Prêmio que já havia sido iniciado soma-se a outras perdas relacionadas à valorização do professor. “Uma das contribuições do Prêmio é identificar, em experiências bastante singelas, o valor da inovação e da importância daquela ação para a aprendizagem”, explica.

Para Mônica Franco, com o cancelamento deste ano, perde-se também a possibilidade de identificar potenciais nas práticas dos professores que pudessem ser aproveitados na formação continuada de outros profissionais. O CENPEC Educação não teve acesso aos relatos de práticas dos professores deste ano, pois o processo foi interrompido antes que as inscrições chegassem à entidade.

Em 2019, perdemos no sentido de que temos agora menos oportunidades de conhecer o que está acontecendo na sala de aula, já que, por meio das experiências do Professores do Brasil, temos uma visão do que acontece no País, como os professores se organizam e como o trabalho evolui.”

Mônica Gardelli Franco

A diretora-executiva do CENPEC Educação, porém, mostra-se esperançosa quanto ao retorno da premiação em 2020.

É preciso apenas cuidado para que não se desmontem os esforços que demoramos tanto para alcançar no Brasil.”

Mônica Gardelli Franco

Saiba mais