Poesia na escola

-

Poesia na escola

Poema é o foco deste especial por gênero da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro
Imprimir

A “palavra mágica dorme na sombra / de um livro raro. Como desencantá-la?”, questiona o poeta Carlos Drummond. É a busca da “senha da vida”, a palavra poética, o foco do novo especial por gêneros do programa Escrevendo o Futuro, organizador da Olimpíada de Língua Portuguesa.

A página traz materiais selecionados para turbinar as oficinas de leitura e produção textual na escola. Entre os conteúdos, os professores encontram o caderno virtual Poetas da escola, o jogo Arquipélago poético, além de sequência didática, entrevista, sugestões de leitura e poemas, entre eles composições de finalistas da Olimpíada.

Poesia é reflexão e ludicidade

Esdras Soares

Para falar sobre o trabalho do Escrevendo o Futuro com poema e a importância desse gênero na formação leitora e escritora de crianças e jovens. entrevistamos Esdras Soares, técnico do programa e mestrando em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo (USP).

Portal CENPEC: Por que trabalhar a leitura e a escrita de poesia com os estudantes?

Escrita de poema em semifinal da Olimpíada 2016

Esdras Soares: As crianças chegam à escola já familiarizadas com o universo poético. Trava-línguas, cantigas, parlendas, quadrinhas e cordéis são formas poéticas que muito provavelmente os estudantes já conhecem, então introduzir esse gênero pode ser mais acessível. Além disso, há uma ludicidade das palavras que pode ser explorada com os poemas e que “pega de jeito” as crianças.
O trabalho com poesia oferece a possibilidade de reflexão sobre as palavras, escolhas linguísticas e seus efeitos de sentido. Assim, escrever poemas significa pensar no que se diz e como se diz. Em sala de aula, também promove o desenvolvimento articulado de todos os eixos de ensino-aprendizagem da língua portuguesa: leitura, escrita, oralidade e análise linguística.

Sarau da Olimpíada 2016

Portal CENPEC: Há algum tempo, a leitura e a escrita poética têm ganhado espaço e popularidade por meio de saraus e slams. Como esses eventos podem dialogar com o ensino de poesia na escola?

Esdras Soares: Nossa percepção é que, de fato, a poesia tem ganhado espaço e popularidade por meio de saraus e slams. Acredito que a escola pode aprender muito com essas manifestações, porque esses espaços respondem a anseios, medos e dúvidas da juventude. São espaços de encontro e de aprendizado onde a palavra pode circular livremente. Não podemos pensar em escolas que ensinem poesia dessa maneira?

Portal CENPEC: Como as novas tecnologias digitais podem contribuir para a formação de leitores e escritores?

Explorando a poesia na web, Olimpíada 2016

Esdras Soares: As tecnologias digitais podem ser grandes aliadas no ensino-aprendizagem de leitura e escrita. A Olimpíada tem como princípio a premissa de que textos são escritos para serem lidos, então ficamos muito felizes quando os textos ganham o mundo. Assim, blogs, canais no Youtube, páginas em redes sociais e recursos do tipo são ferramentas potentes para tornar público os textos que os estudantes escrevem – inclusive, isso está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Dessa forma, reconhece-se o trabalho de professores e estudantes, formam-se mais leitores e amplia-se o letramento da população.

Portal CENPEC: Quais são os objetivos e os destaques do especial sobre poema?

Lendo os próprios poemas, Olimpíada 2016

Esdras Soares: Desenvolvemos esse especial pensando em toda essa vasta oferta de desafios e possibilidades em torno desse gênero. Professores e professoras que desejam acessar recursos para o trabalho com a poesia em sala de aula encontram nessa página exclusiva diferentes materiais: há o Caderno do Professor (sequência didática para o ensino de poemas), propostas de atividades de aproximação ao texto poético, uma entrevista com Roberta Estrela D’Alva (que trouxe o slam para o Brasil), textos literários, artigos de especialistas, conteúdos sobre leitura em voz alta, jogos e vídeos. Para fechar com chave de ouro, o internauta pode assistir a um vídeo sobre o Encontro Regional de Poema de 2016 e ler poemas finalistas da Olimpíada de Língua Portuguesa.


Alguns destaques do especial sobre poema

Poetas da escola

Ilustração do caderno virtual

A nova edição do caderno virtual Poetas da escola traz 16 oficinas para inspirar o trabalho com poesia. São propostas diversas e lúdicas que exploram as características do gênero lírico. A novidade é a oficina “O poema, a palavra e o som”, que busca sensibilizar os estudantes em relação à sonoridade dos poemas. Além de textos escritos interativos, com comentários e dicas para os professores, há uma seleção de objetos multimídia, como áudios com poemas, vídeos, ilustrações e outros recursos digitais.

Palavras, imagem e imaginação

A sequência didática presente no especial explora, por meio do compartilhamento de ideias e impressões, as características da linguagem poética e seus múltiplos sentidos, articulando leitura de poemas, identificação de imagens, jogos sonoros e sentidos, reflexão linguística, exercícios lúdicos e propostas de produção.

Roberta Estrela D’Alva

A poesia sempre vence

Em entrevista, a pesquisadora, atriz, MC, cantora e apresentadora Roberta Estrela D’Alva fala, entre outros temas, dos slams – “batalhas de versos” – como caminho para aproximar os jovens da poesia.

Dizer o texto

Por que e como ler poemas em voz alta? Em vídeo, a formadora da Olimpíada de Língua Portuguesa Edi Fonseca explora a relação entre leitura expressiva, ritmo, musicalidade e construção do sentido nos textos poéticos.

Em busca da poesia

Arquipélago poético

Neste jogo divertidamente lírico, a missão é ajudar Ema e Tico a devolver a cor e a poesia ao mundo. Para isso, o jogador precisa embarcar em uma jornada marítima pelos arredores da Ilha dos Poemas. Como companheiros de viagem, o aventureiro conta com o robozinho Poeco e textos do escritor Jorge Miguel Marinho, criados exclusivamente para este material.

EXPLORE O ESPECIAL SOBRE POEMA 2019

Campanha Escrevendo o Futuro 2019

As inscrições para a 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa se encerraram no dia 13/5. Professores e alunos estão a todo o vapor realizando as oficinas na escola!

Para inspirar outros participantes, toda semana o Portal Escrevendo o Futuro vai divulgar fotos desse trabalho que se desenvolvendo em diferentes escolas do país.

Envie registros de suas oficinas para o e-mail escrevendofuturo@cenpec.org.br, com seu nome, escola, município e estado.


Esta iniciativa do Itaú Social com coordenação técnica do CENPEC Educação busca contribuir para a melhoria do ensino-aprendizagem de leitura e escrita em nosso país.

Como esse objetivo, oferece a professores da rede pública cursos e materiais de formação presencial e a distância, além de desenvolver a Olimpíada de Língua Portuguesa, concurso realizado em parceria com o Ministério da Educação para estimular a produção textual de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. Saiba mais sobre o programa.