Novos caminhos para a educação integral e inclusiva

-

Novos caminhos para a educação integral e inclusiva

Parceria entre Itaú Social, UNICEF e CENPEC Educação desenvolve programa de formação e fomento financeiro a OSCs que trabalham em prol do desenvolvimento de crianças e adolescentes
Imprimir

Olhar para o entorno, apurar a escuta da comunidade e assim construir novos caminhos para a melhoria da educação integral e inclusiva a crianças e adolescentes presentes no território. Essa é a proposta da nova iniciativa voltada a Organizações da Sociedade Civil (OSCs) de todo o Brasil que trabalham nessa perspectiva educacional: o Programa Itaú Social UNICEF.

Logo Programa Itaú Social UNICEF

Parceria entre Itaú Social, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e CENPEC Educação, a proposta é fruto das experiências adquiridas com o Prêmio Itaú-UNICEF, que por 25 anos reconheceu e estimulou iniciativas da sociedade civil visando a ampliação de tempos, espaços, conteúdos e formas de aprendizagem dentro e fora da escola.

Segundo Milena Duarte, coordenadora de Fomento do Itaú Social, o Programa nasce das reflexões sobre os aprendizados construídos na trajetória do Prêmio, a partir do diálogo e atuação junto às OSCs de diferentes regiões do país que atuam pela educação integral de crianças e adolescentes.

Milena Duarte, coordenadora de Fomento do Itaú Social
Foto: acervo Itaú Social

Nesse período, o Itaú Social estruturou como pilar de atuação o fortalecimento da sociedade civil, na perspectiva de que é necessário contribuir para que as organizações da sociedade civil desenvolvam cada vez mais um olhar estratégico sobre sua missão e suas ações.

Nesse sentido, o Programa nasce com esse olhar e se apresenta como convite formativo para que as OSCs possam se olhar institucionalmente, escutar os profissionais, as crianças, os adolescentes, as famílias, a comunidade, para pensar como tem sido esse caminhar. A partir disso, analisar como dialogam com esse território e como promovem transformação e aprendizagens para esses meninos e meninas.”

Milena Duarte, coordenadora de Fomento do Itaú Social

A escuta e articulação com a comunidade que vive no território de atuação das OSCs é um objetivo visado pelo Programa. “Pensar o desenvolvimento integral envolve um olhar articulado com diferentes atores e instituições presentes nos territórios, como escolas, Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), demais OSCs, coletivos, entre outros”, reflete Julia Ribeiro, oficial de educação da UNICEF Brasil.

Julia Ribeiro, oficial de educação da UNICEF Brasil
Foto: acervo UNICEF

Desenvolver um trabalho articulado com as ações que já são desenvolvidas no território requer uma sensibilidade que nasce da escuta e aproximação das organizações com os membros de sua comunidade. A existência desse espaço de aproximação pode contribuir para a garantia de direitos de crianças e adolescentes, que podem não estar sendo assegurados.

Nesse sentido, o Programa Itaú Social UNICEF propõe um espaço de reflexão, coletivo e colaborativo, sobre as ações das OSCs e sua articulação no território, a fim de construir um plano de intervenção que responda às diferentes demandas e complexidades que vivenciamos no cenário atual.”

Julia Ribeiro, oficial de educação da UNICEF Brasil

Formação, escuta e construção colaborativa

O Programa Itaú Social UNICEF oferece um percurso formativo on-line que tem como objetivo apoiar as organizações a rever sua história e sua articulação com parceiros do território, a fim de construir novas maneiras de atuar com o público-alvo, tendo em vista uma educação integral e inclusiva de qualidade.

Letícia Araújo Moreira da Silva, coordenadora do Programa pelo CENPEC Educação
Foto: arquivo pessoal

Esperamos que, por meio do percurso formativo, as OSCs consigam mobilizar os diferentes atores que fazem parte do cotidiano das instituições e dos territórios para construir planos de intervenção que dialoguem com as demandas relacionadas à educação integral de crianças e adolescentes de cada localidade.”

Letícia Araújo Moreira da Silva, coordenadora do Programa pelo CENPEC Educação

Ao longo dos três meses de percurso, as OSCs participarão de reflexões e práticas em torno de três eixos da educação integral e inclusiva: desenvolvimento integral de crianças e adolescentes, desenvolvimento institucional e articulação no território. Além disso, as OSCs serão estimuladas a refletir sobre a temática da diversidade e propor ações para o enfrentamento de preconceitos de raça/etnia, gênero, sexualidade e pessoa com deficiência. 


Planos de intervenção, avaliação e fomento

Além de realizar as atividades propostas nas três estações (ambientes virtuais de aprendizagem) que compõem o percurso, as organizações serão orientadas a construir planos de intervenção para os respectivos territórios de atuação. “Acreditamos que a construção colaborativa deste plano de intervenção fortalecerá as organizações e as apoiará no desenvolvimento de ações consistentes e em consonância com sua missão”, afirma Letícia Araújo.

Esses planos, que deverão ser entregues ao final dos três meses de formação, assim como toda a participação das OSCs no percurso, serão avaliados por uma comissão técnica e pelas próprias organizações participantes segundo critérios estabelecidos pelo Programa. Ao final, serão selecionadas 40 OSCs que receberão, durante 18 meses, assessoria técnica e fomento financeiro de até R$ 100.000,00 para implementarem seus planos de intervenção.


Como participar?

cronograma

De 20/7 a 21/8, estará aberta a etapa de adesão ao Programa. Durante esse período, as OSCs interessadas devem entrar no site para cadastrar seus dados institucionais, que passarão por uma análise a fim de verificar se as instituições estão aptas a participar do percurso formativo.

Podem aderir ao Programa para integrar o percurso formativo as OSCs que:

  • atuam no território brasileiro há mais de um ano com crianças e adolescentes na perspectiva da educação integral e inclusiva;
  • desejam olhar para sua história e sua forma de atuar com o público-alvo, assim como repensar suas práticas de gestão.
  • pretendem aprimorar a escuta junto ao território para ampliar os resultados de sua atuação.

As organizações selecionadas após a análise de dados terão acesso ao percurso formativo on-line, que se iniciará no dia 31/08 e terá a duração de três meses.


Rede pela educação integral e inclusiva 

rede e idéias

Uma ideia central no Programa é o papel da escuta e da integração entre organizações que promovem a educação integral e inclusiva em diferentes localidades brasileiras. Nesse sentido, um dos frutos da iniciativa será a composição de uma rede virtual colaborativa aberta a todas as OSCs inscritas. “Ao criarmos este movimento, esperamos que as organizações se fortaleçam na busca de soluções inovadoras e eficientes, ao compartilhar experiências entre pares com propósitos e desafios similares”, revela Letícia Moreira.

Navegue pelo site e saiba mais sobre o Programa.


Veja também