I Festival Filmes que Ensinam

-

I Festival Filmes que Ensinam

As transmissões acontecem de 17 a 24 de agosto, de forma gratuita e remota, pela plataforma de streaming educativo Tamanduá Edu; saiba mais
Imprimir

Por Stephanie Kim Abe 

Essa semana, os tanques de guerra brasileiros estiveram na pauta dos noticiários, por causa do desfile militar que ocorreu em Brasília, no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados votava a PEC do voto impresso. Eles também renderam bons memes, que circularam na internet durante toda a terça-feira (dia 10/8):

Para além da brincadeira, o episódio retrata muito bem alguns dos principais questionamentos que têm sido feitos quanto às conquistas da democracia brasileira e a sua história: a urna eletrônica é mesmo confiável? Por que intervenção militar é ruim?

Esses debates mostram a importância que falar sobre história política tem para a formação cidadã de todos(as) estudantes. Uma maneira de trazer essa discussão é utilizando filmes e documentários que retratam essas questões – e é justamente isso que faz o I Festival Filmes que Ensinam.

Com o tema História Política, o festival acontece de 17 a 24 de agosto de forma gratuita e remota, por meio da plataforma de streaming educativo Tamanduá Edu. 

As produções audiovisuais escolhidas abordam diferentes temas, mas todos muito atuais. O documentário O paradoxo da democracia, por exemplo, traz uma reflexão sobre a crise mundial desse sistema na atualidade, mostrando como democracias distintas como Brasil, Estados Unidos, França, Egito e Ucrânia foram tomadas por protestos de rua que tiveram como elemento unificador a insatisfação com a política tradicional.

Em O Dia que durou 21 anos, assistimos o panorama político que antecedeu o golpe militar de 1964. Já no documentário Espero tua (re)volta, de Eliza Capai, temos um retrato do movimento dos secundaristas de 2015 que ocupou as escolas estaduais. 

Há ainda documentários e séries que falam sobre os protestos que culminaram com a eleição de Jair Bolsonaro, a luta das mulheres norte-americanas e inglesas por direitos políticos e a ligação de duas mulheres brasileiras com a terra e da abolição e da pós-abolição dos negros no Brasil.

No site Tamanduá Edu, que promove o festival, é possível encontrar a indicação de qual a etapa de ensino adequada para cada exibição e as disciplinas envolvidas. Os filmes foram escolhidos após análise pedagógica e estão vinculados às competências e habilidades da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). 

O evento estreia com a aula live gratuita “O audiovisual como ferramenta de ensino e aprendizagem”, com a professora de história e responsável pela curadoria pedagógica da mostra Eliane Yambani, no dia 17, às 10h.

Para participar do Festival, é preciso se inscrever e se cadastrar gratuitamente na plataforma. 

Inscreva-se

Veja o teaser do evento abaixo:


Veja também