Uma educação para a cidadania

-

Uma educação para a cidadania

Assessoria do CENPEC promove encontro com especialistas para discutir diretrizes da educação a escolas da rede Sesc
Imprimir

De 16 a 19 de julho, aconteceu, no Departamento nacional do Serviço Social do Comércio (Sesc), na cidade do Rio de Janeiro (RJ), uma série de encontros para discussão e elaboração das Diretrizes de Educação às escolas dessa instituição.  Os encontros fazem parte da assessoria prestada, desde março, pelo CENPEC ao Sesc nacional. 

Foto: Acervo Sesc

Participaram da discussão 40 especialistas em educação, entre eles dirigentes do Sesc nacional e dos 27 Departamentos regionais. Os encontros contaram com a presença da coordenadora de projetos do CENPEC Educação Solange Feitoza.

Fruto dessa articulação, o documento Diretrizes de Educação, em elaboração, subsidiará o trabalho educativo das 205 escolas do Sesc, que hoje atendem 61 mil alunos das 213 escolas de educação básica do Sesc espalhados nos 26 estados e no Distrito Federal.

O analista de educação do Sesc nacional Rommulo Mendes Carvalho Barreiro conta que o documento Diretrizes de educação está sendo formulado em duas etapas:

Foto: Acervo Sesc

Na primeira, houve o alinhamento de ideias e expectativas entre a Gerência de Educação do Sesc nacional e o CENPEC para escrita dos textos-base, a fim de amadurecer o entendimento sobre a educação que o Sesc quer promover na sua rede de escolas.

Na segunda etapa, esses textos foram levados a uma plenária com representantes de cada Departamento regional do Sesc (um de cada estado) para discutir seus conceitos e validar a redação do conteúdo que está sendo apresentando.”

Rommulo Mendes Carvalho Barreiro

Ampliação do atendimento e qualidade

Foto: Acervo Sesc

Este documento inédito, que pretende alinhar o trabalho pedagógico da rede de escolas do Sesc, está vinculado ao objetivo político da instituição no próximo período: contribuir para o crescimento das taxas de escolarização no país, efetivando o direito ao acesso a uma educação de qualidade para todos.

Para isso, será ampliado o número de matrículas voltadas a seu público prioritário – trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes. Isso será efetivado tanto pelo aumento do número de turmas nos segmentos já existentes, sendo também cogitada a possibilidade de abertura de novas unidades educacionais.

Diretrizes para uma educação voltada à cidadania

Segundo Barreiro, os princípios norteadores dessas diretrizes são a função social da escola em “formar cidadãos capazes de refletir criticamente sobre a suas práticas e papel no mundo, bem como promover uma educação que preze pela autonomia dos estudantes”.

Foto: Acervo Sesc

O documento em construção propõe uma educação escolar comprometida com a justiça social e o pertencimento comunitário.

Assim, afirma o papel transformador da escola, que deve abrigar práticas pedagógicas centradas na condição humana e voltadas ao desenvolvimento do pensamento crítico e participativo.

Um dos grandes objetivos em estabelecer essas diretrizes para todas as escolas do Sesc é desenvolver uma educação que promova a cultura de paz e cidadania, ancorada no respeito à diversidade e na defesa dos direitos humanos universais.

Como explica Solange Feitoza, há um alinhamento entre a proposta educativa do Sesc com os objetivos institucionais do CENPEC no que tange a promover iniciativas para o enfrentamento das desigualdades.

Foto: Acervo Sesc

O trabalho junto ao Sesc exercita nossa missão de desenvolver ações que contribuem para o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens, formação de profissionais de educação e o fortalecimento da gestão educacional e escolar.”

Solange Feitoza

Foto: Acervo Sesc

Um dos principais pontos de alinhamento entre as duas instituições está na  ideia de desenvolvimento integral dos indivíduos, ou seja, em uma educação que considera o ser humano nas suas diferentes dimensões.

Para isso, devem ser respeitadas as singularidades dos sujeitos: seus diferentes ritmos de aprendizagem, perfil social, repertório cultural, interesses e habilidades.

A valorização da pluralidade na escola deve se dar por meio de processos conduzidos pelos educadores em diálogo com os estudantes, num clima de inclusão, cooperação e compartilhamento de saberes.

Educação como construção coletiva

Um dos princípios destacados no documento é o de todos os sujeitos que compõem a escola devem participar ativamente do projeto educativo para se cumpra plenamente sua função social. Nesse contexto, têm relevância as ações conduzidas pelos professores, que, em suas práticas pedagógicas cotidianas, dão vida ao currículo definido coletivamente.

Foto: Acervo Sesc

Assim, é necessário garantir condições para que os docentes possam refletir, planejar, questionar e reorganizar suas ações, caso considerem necessário, sempre de forma dialógica com os estudantes e com toda a equipe escolar.

Para que esses objetivos se realizem, a equipe gestora tem um importante desafio: a construção de um ambiente favorável ao diálogo e à participação, em um clima de confiança que possibilite o desenvolvimento da autonomia dos envolvidos e a discussão de diferentes perspectivas nas decisões coletivas.


Saiba mais sobre o projeto Assessoria para elaboração das Diretrizes de Educação do Sesc