-

Anúncios desastrados de medidas provocam indignação

Em entrevista ao Correio Braziliense, diretora-executiva do CENPEC Educação comenta manifestações a favor da educação ocorridas em todo o Brasil
Imprimir

Nesta quarta-feira (15/05), universidades públicas e institutos federais de todo o país fizeram manifestações contra o corte de verbas , anunciado no final de abril pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Instituições de ensino superior e colégios privados também aderiram aos protestos.

Reflexo dos constantes ataques do governo Bolsonaro à educação, o movimento reuniu sindicatos, alunos secundaristas e profissionais da educação. Foram mais de 200 atos, muitos deles gigantescos, em todos os estados e no Distrito Federal.

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, a diretora-executiva do CENPEC Educação, Mônica Gardelli Franco, comentou que, além da indignação com os cortes, a população está insatisfeita com a forma pela qual as políticas públicas são anunciadas.

A prioridade nunca deve ser a redução de gastos. Na educação, a gente não gasta, a gente investe. O foco deve ser em resultados, no avanço da ciência, na pesquisa e na aprendizagem dos alunos.

Mônica Gardelli Franco

Leia a entrevista

Saiba mais