Desafios do ensino a distância

-

Desafios do ensino a distância

Modalidade registra aumento de mais de 17% entre 2016 e 2017, mas qualidade e metodologia ainda precisam ser equacionadas
Imprimir

O crescimento de mais de 17% nos cursos oferecidos na modalidade de educação a distância (EAD) foi tema do programa Estúdio 1, na GloboNews, nesta quarta-feira (7). A reportagem contou com a participação da diretora-executiva do CENPEC Educação, Mônica Gardelli Franco. Assista ao vídeo.

Entre 2016 e 2017, o número de matriculados em cursos EAD cresceu de quase 1,5 milhão para pouco mais de 1,7 milhão. O dado não é novo e consta do Censo da Educação Superior divulgado em setembro de 2018 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Confira na imagem abaixo.

Crescimento da EAD no ensino superior.

No entanto, mais do que simplesmente representar o crescimento da modalidade – de mais de 260 mil matriculados em um ano –, os números sugerem que a EAD tem sido uma alternativa para pessoas que decidem voltar a estudar ou para aquelas que residem longe das instituições que oferecem cursos presenciais, diz a reportagem da GloboNews.

Nesse sentido, o crescimento é positivo, diz Mônica Gardelli Franco. “Aqui, no CENPEC Educação, vemos de duas formas. Primeiro, há dois pontos positivos, que é a oportunidade a pessoas que (…) têm dificuldade de acesso às universidades que oferecem cursos presenciais (…); e também a contribuição à meta do Plano Nacional de Educação (PNE), que deve ser cumprida até 2024, de 50% da população do Brasil ter cursado ensino superior”, comenta a diretora-executiva do CENPEC Educação.

Mônica Gardelli Franco, diretora-executiva do CENPEC Educação.

Há, porém, dois pontos que nos preocupam consideravelmente, porque junto a esses dados, há a informação de que aumenta o número de interessados, mas diminui o número de docentes; e isso traz um grande impacto, principalmente na formação dos pedagogos e das licenciaturas que cuidam da educação básica.”

Mônica Gardelli Franco

Dessa forma, afirma Franco, há desafios concernentes à EAD, tanto no sentido de equacionar a metodologia de ensino-aprendizagem quanto a verificar se, de fato, a modalidade prepara os futuros profissionais – especialmente professores, no caso da educação básica.

É importante, portanto, o aluno de EAD procurar avaliar o curso que se propõe a fazer, verificando se a mediação é feita de forma adequada, se as partes atinentes ao estágio são contempladas e se o currículo é cumprido.

Confira a reportagem completa