Plantando letras no Vale do Ribeira

-

Plantando letras no Vale do Ribeira

Projeto do CENPEC Educação amplia a formação de alfabetizadores e gestores no Vale do Ribeira, em São Paulo
Imprimir

O primeiro curso a distância do projeto Letra Viva Alfabetiza, Consciência fonológica: entre o som e o sentido, concluído em 15 de maio em Apiaí (SP), cumpriu seu objetivo e ampliou os conhecimentos e as perspectivas profissionais de dezenas de professores na região do Vale do Ribeira, sul do estado de São Paulo.

Dos 187 participantes, 131 professores de educação infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental receberam certificado. Para obter a certificação, era preciso ter 75% de participação nas atividades, respondido a questionários e produzido e postado uma atividade no site.

Apiaí, Itaoca, Ribeira, Itapirapuã Paulista e Barra do Chapéu são os cinco municípios envolvidos com o Letra Viva Alfabetiza, no Polo Apiaí. Coordenadora do projeto, a especialista do CENPEC Educação Maria Alice Junqueira conta que, nesse trabalho, são discutidas questões de alfabetização e letramento; questões de didática, sobre como levar a teoria para a prática na sala de aula; e também os temas de gestão educacional e escolar. A avaliação das primeiras atividades é muito positiva.

O trabalho desenvolvido aqui, na nossa rede, foi muito relevante, porque os nossos professores puseram em prática tudo aquilo que foi falado no curso a distância, nas formações e nos HTPCs, os horários de trabalho pedagógico coletivos.”


Mareli Dantas de Paula Volner, da EE Professor Benedito Pontes  Filho, em Itaoca (SP)

O CENPEC Educação vai atuar por dois anos no Polo Apiaí e oferecerá oito cursos, além de encontros presenciais. Se os professores da região participarem de todos eles, terão completado 320 horas de formação, o que contribuirá muito para a formação.

O primeiro tema tratado, tanto nos encontros presenciais, quanto nos cursos a distância, foi a consciência fonológica. Foi trabalhada a importância de as crianças compreenderem que a escrita nada mais é do que a representação gráfica dos sons da fala.

“O que se espera é que os professores compreendam as diferentes dimensões da consciência fonológica”, diz Maria Alice Junqueira. “Queremos que eles sejam capazes de diagnosticar em que nível os seus alunos se encontram e que, a partir dos resultados, planejem intervenções pedagógicas ajustadas às necessidades de cada criança”.

Os encontros presenciais são destinados, num primeiro momento, a secretários e técnicos das secretarias de Educação. Eles discutem o papel da gestão educacional, sob a perspectiva do programa Letra Viva Alfabetiza. No segundo momento, ainda voltados para a gestão, os encontros envolvem os coordenadores pedagógicos. Por último, os professores participam.

Segundo a coordenadora do Letra Viva Alfabetiza, o projeto entende os coordenadores pedagógicos como formadores dos professores, não como meros gestores da aplicação dos currículos e das atividades escolares. Por isso, tanto coordenadores quanto professores compõem o Núcleo de Alfabetização e Letramento, no Polo de Apiaí.

“Pelo que pudemos perceber no encontro presencial, as atividades chegaram à sala de aula, foram realizadas e fizeram uma diferença no processo de alfabetização das crianças”, diz a coordenadora. E a expectativa é de um alcance ainda maior do trabalho. Quando retornam para suas escolas, os 60 participantes do Núcleo disseminam práticas e saberes com todos os professores dos municípios que integram o Polo.

entre livros.png

Professores acessam celulares e tablets para obterem mais informações sobre os cursos.

Novo curso do Letra Viva Alfabetiza

Depois do Consciência fonológica, um novo curso já está em aplicação no Polo Apiaí. Entre livros e leitores: o espaço da mediação, de autoria de Cristina Zelmanovitz, Sônia Madi e Maria Alice Junqueira, aborda a formação de leitores na escola e o papel do professor como mediador nesse processo.

O curso é realizado pela Diretoria de Tecnologias Educacionais do CENPEC Educação, com a produção do ambiente virtual de aprendizagem a cargo da Diretoria de Difusão e Mídias. Começou em 22 de maio e irá até 1º de julho.

O Letra Viva Alfabetiza, projeto prioritário do CENPEC Educação, tem por objetivo subsidiar educadores para desenvolverem uma prática alfabetizadora que integre aspectos discursivos à compreensão do funcionamento do sistema de escrita alfabético

Conheça o curso