Apoio Pedagógico Complementar: o papel da avaliação no Programa

-

Apoio Pedagógico Complementar: o papel da avaliação no Programa

Apoio Pedagógico Complementar debate sobre o papel da avaliação na gestão e na aprendizagem. Confira entrevista com o professor Wolney Candido de Melo
Imprimir

De julho a dezembro, as(os) técnicas(os) das secretarias municipais de educação envolvidas na formação do Programa Melhoria da Educação: Apoio Pedagógico Complementar estão recebendo subsídios para aprimorarem suas práticas avaliativas por meio do módulo Avaliação.

Realizado com a consultoria do professor Wolney Candido de Melo, o módulo tem como objetivos:

  • subsidiar a realização do diagnóstico padronizado de habilidades em língua portuguesa e matemática;
  • orientar o levantamento de informações sobre aspectos da aprendizagem e do perfil dos(as) estudantes para identificar aqueles(as) que necessitam de atendimento;
  • assessorar as equipes técnicas na análise dos resultados do instrumento avaliativo aplicado;
  • orientar a avaliação e o monitoramento das ações do programa pelas Secretarias de Educação.

Ao longo do módulo, as equipes técnicas dos municípios refletem sobre conceitos de avaliação da aprendizagem e suas implicações na gestão e na prática docente. Para isso, discutem os diagnósticos e instrumentos de monitoramento e avaliação, tanto em relação ao desempenho dos(das) estudantes em Língua Portuguesa e em Matemática, como acerca dos resultados do programa.

Wolney Candido de Melo
Wolney C. Melo

Para conhecer mais sobre os conteúdos formativos oferecidos nesse módulo, convidamos seu consultor, professor Wolney Candido de Melo.  Mestre em Ensino de Física pelo Instituto de Física da USP e Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da  Universidade de São Paulo (USP), atua na educação há mais de três décadas como professor e coordenador em escolas públicas e privadas, além de cursos pré-vestibulares em São Paulo. Confira a entrevista.


Portal CENPEC: Qual é a importância de se conhecer e distinguir as diferentes concepções da avaliação educacional para a atuação de educadores e gestores no Programa?

Wolney C. Melo: É fundamental conhecer as diferenças entre a avaliação interna e externa, pois cada uma se aplica mais a determinada situação. Quando falamos em avaliação interna, por exemplo, estamos nos referindo à avaliação desenvolvida pelo(a) professor(a) para ser aplicada aos(às) estudantes em sala de aula. Essa avaliação tem como função um delineamento de um passo a passo do cotidiano de trabalho docente com os(as) estudantes. 

Assim, ao desenvolver determinada atividade, é necessário identificar se ela promoveu ou não a aprendizagem. Para isso, o(a) professor(a) faz perguntas ou observa os conhecimentos que os(as) estudantes colocam em prática na realização das atividades propostas. Essa avaliação costuma ter um caráter  mais informal, processual e formativo, pois acontece no dia a dia da aprendizagem. 

Por seu turno, uma avaliação externa, em geral, de caráter somativo, é aquela que ocorre ao final de uma etapa ou período de aprendizagem e visa identificar os resultados obtidos, costumeiramente ocorrendo num momento pontual. 

Portal CENPEC: Como essas concepções de avaliação podem colaborar para o trabalho desenvolvido no Apoio Pedagógico Complementar?

Wolney C. Melo: As avaliações internas e externas não são excludentes, ao contrário, são complementares, pois têm focos e objetivos diferentes. Assim, ao combiná-las, os(as) educadores(as) e gestores(as) têm condições de verificar informações de naturezas diversas e também com diferentes focos. 

Ao compor levantamentos distintos, pode-se obter informação para o aprimoramento em diferentes níveis de gestão da aprendizagem (sala de aula, escola e secretaria). A avaliação externa, pode trazer elementos para que gestores(as) identifiquem estudantes que necessitam de atendimento complementar e auxiliem no processo de ensino e aprendizagem, com atenção e cuidado para o atendimento do direito de todos(as) à aprendizagem. Por sua vez, a avaliação interna, fornece elementos para os(as) professores(as) planejarem as atividades que melhor se ajustam aos processos de cada estudante.

Portal CENPEC: Como os instrumentos oferecidos podem auxiliar as turmas do Apoio Pedagógico Complementar e as ações do Programa?

Wolney C. Melo: Pelo levantamento padronizado, realizado no início do ano letivo, é possível mapear quais são as maiores dificuldades e acompanhar os avanços no alcance dos objetivos do programa tanto por parte da gestão da escola como da secretaria.

Com o levantamento padronizado do final do ano letivo, pretende-se proporcionar evidências sobre os resultados de aprendizagem alcançados e  junto com as informações levantadas pelos(as) docentes tomar decisões quanto à reclassificação ou encaminhamentos dos(as) estudantes para o ano escolar seguinte, sempre tendo como ponto de atenção o sucesso na trajetória escolar.

Além disso, oferecemos o questionário para levantamento do perfil do(a) estudante, que permite acessar informações importantes sobre os possíveis obstáculos à trajetória escolar dele(a). Essas informações, chamadas de contextuais, auxiliam na análise dos resultados das avaliações de desempenho e da desigualdade educacional.

Portal CENPEC: O que é importante os educadores e gestores observarem ao aplicar os instrumentos avaliativos?

Wolney C. Melo: É importante observar não só a quantidade final de acertos de cada estudante nos instrumentos de desempenho, mas também identificar quais foram esses acertos e erros. Eu costumo dizer que os erros oferecem elementos tão essenciais para o trabalho pedagógico quanto os acertos. Quando identificamos o que levou o(a) estudante ao erro, temos melhores condições de planejar as atividades pedagógicas para promover a aprendizagem. 

Assim, mais do que contar acertos e erros, é importante fazer uma análise qualitativa dos mesmos visando subsidiar o planejamento das intervenções pedagógicas.

Portal CENPEC: Como os instrumentos oferecidos podem auxiliar o retorno às aulas presenciais após a pandemia?

Wolney C. Melo: Após o período de aulas remotas do isolamento social, é importante identificar quais aprendizagens se efetivaram e quais não se efetivaram. Assim, o levantamento padronizado inicial, de caráter diagnóstico, pode ser útil para todos(as) estudantes. Com ele, o(a) gestor(a) pode obter indicativos sobre a aprendizagem das turmas e identificar aqueles(as) que necessitam de apoio pedagógico após o isolamento. Vale ressaltar que os instrumentos, por serem padronizados e restritos às questões de múltipla escolha, oferecem indicações que requerem a complementação de diagnósticos dos(as) docentes.

Conheça o Programa Apoio Pedagógico Complementar


Veja também