Navegar pela diversidade de nossa língua é preciso!

-

Navegar pela diversidade de nossa língua é preciso!

Imprimir

Neste Especial, a variedade linguística se faz presente por meio de um mapa com vídeos enviados por pessoas de diferentes regiões do Brasil e de outros países falantes de português. Você encontrará ainda vídeos e textos elaborados por Carlos Alberto Faraco, linguista e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que enfoca aspectos teóricos e práticos desse tema, dando dicas sobre como trabalhar oralidade na escola, além de muitos outros materiais para quem quiser se aprofundar na questão. Clique abaixo e navegue pelo mapa colaborativo!

Clique e navegue pelo mapa colaborativo Oralidades!

Desde as caravelas lusitanas, nosso idioma se espalhou e criou raízes por diversas partes do mundo. Da Europa à África, Ásia e América, a “última flor do Lácio” − como a o poeta Olavo Bilac chama − a língua portuguesa se enamorou de outros tantos idiomas. Os frutos são os variados sotaques, vocabulários, sintaxes: formas de ver, sentir, comunicar, expressar o mundo e a si mesmos.

A diversidade da língua, percebida de forma mais intensa na oralidade, reflete a riqueza cultural dos povos que a utilizam. Ao mesmo tempo, o idioma constrói a identidade de uma nação, bem como é canal de comunicação e colaboração entre povos irmãos, falantes da mesma língua.

Conhecer e expressar essa diversidade é fundamental para compreender a língua como um processo vivo, sempre em transformação. Nesse processo participam de forma ativa os diversos grupos que usam e criam o idioma em suas práticas socioculturais. Além disso, considerar, comparar e valorizar as variedades orais é uma forma de combater o preconceito linguístico, prática que deprecia o diferente e ainda hoje exclui milhões de pessoas do acesso aos bens da cultura letrada.