Gestão Escolar: Como organizar o recreio na sua escola

Gestão Escolar: Como organizar o recreio na sua escola

GESTÃO ESCOLAR | 29/05/18

Saber organizar o espaço e deixar que os alunos sejam protagonistas e cuidem dos brinquedos são bons exemplos para aproveitar o intervalo

POR PAULA CALÇADE

O intervalo é o momento em que as crianças e os jovens têm mais liberdade na escola. É a hora que acontece a socialização e o momento em que os alunos decidem como organizar esse tempo e fazem suas próprias escolhas. Apesar de ser espontâneo, o planejamento do recreio pode melhorar o aproveitamento desse tempo e ampliar a segurança para os estudantes. Beatriz Cortese, coordenadora de projetos do CENPEC, explica que a idealização de projetos para o intervalo deve ser feita pela equipe gestora em contato com os alunos e funcionários, para que os atores envolvidos possam avaliar seu funcionamento e colaborar para as boas práticas.

É o que acontece na Escola Classe 61, em Ceilândia, no Distrito Federal. A supervisora Fernanda dos Santos criou a Patrulha do Recreio, um projeto que coloca os próprios alunos do Ensino Fundamental I como “patrulheiros” das atividades na hora do intervalo. As brincadeiras são todas organizadas e cada uma tem espaço definido na escola. Alguns deles são temporários, como o cantinho das figurinhas da Copa, onde as crianças podem trocar e “bater” os adesivos. A escola está sempre atenta ao movimento das turmas para propor esses espaços. “Ter essa conversa e abrir esses espaços fez com que diminuísse o número de acidentes e brigas durante o intervalo e os alunos tivessem a chance de brincar de várias maneiras, desde jogos de tabuleiro até jogar basquete de forma compartilhada e segura”, conta Fernanda.

O recreio ideal consegue equacionar a vontade do aluno e a organização do tempo e do espaço, define Beatriz. Para começar esse processo, vale fazer um diagnóstico de como anda esse momento na sua escola. Como os funcionários de apoio, auxiliares e merendeiras costumam estar mais próximos dos alunos nesse momento, é importante também que eles participem do diagnóstico. “Avalie quais são os espaços físicos disponíveis e quais são as possibilidades desses lugares, considerando a circulação e a acessibilidade”, aconselha a coordenadora de projetos do CENPEC. Se o espaço de convívio da escola for pequeno, ainda é possível dividir as turmas em diferentes horários no intervalo, sugere Beatriz, ressaltando que assim as filas para as brincadeiras são evitadas.

Leia a íntegra da reportagem no site de Gestão Escolar.

Compartilhar:

Deixe um comentário

You must be logged in to post a comment.

/* ]]> */