Conheça os cinco vencedores nacionais da 3ª edição do Prêmio Respostas Para o Amanhã

Conheça os cinco vencedores nacionais da 3ª edição do Prêmio Respostas Para o Amanhã

Está aberta a consulta pública online para eleger o vencedor pelo Voto popular que será divulgado no início de dezembro junto com o Grande vencedor nacional

São Paulo, 23 de novembro de 2016 – A Samsung acaba de anunciar os cinco projetos vencedores nacionais da 3ª edição do Prêmio Respostas para o Amanhã, iniciativa em que professores e alunos da rede pública são estimulados a utilizarem conceitos das Ciências da Natureza e da Matemática para encontrar soluções para problemas reais das comunidades onde suas escolas estão instaladas. Conheça cada um deles:

  • A presença da baronesa no Rio Moxotó: problemáticas e possibilidades – Escola de Referência em Ensino Médio de Itaparica – Jatobá (PE)
  • Construção de um biodigestor urbano para produção de biogás e de lodo fertilizante (biofertilizante) para uso na cozinha e na horta orgânica – Escola Estadual Barão de Boca do Acre – Boca do Acre (AM)
  • Implantação do cultivo de palmito juçara e pupunha pela cooperativa dos alunos, para reflorestamento de mata atlântica e geração de renda para a aldeia indígena Itapuã-Tupi Guarany no Vale do Ribeira – ETEC Eng. Agrônomo Narciso de Medeiros – Iguape (SP)
  • Manejo e conservação participativa de quelônios na terra indígena Andirá-Marau – IFAM – Campus Maués – Maués (AM)
  • Sistema de filtragem e beneficiamento de águas cinzas para produção sustentável de alimentos – EEEP Guilherme Teles Gouveia – Granja (CE)

Nesta etapa, os 25 vencedores regionais foram avaliados pela comissão julgadora que elegeu os cinco melhores projetos de todo o Brasil e, dentre eles, sairá o grande vencedor nacional, com divulgação programada para o dia 1º de dezembro. Além disso, haverá uma consulta pública para escolher o vencedor por júri popular. O sistema de votação está disponível em www.respostasparaoamanha.com.br a partir de hoje até dia 30 de novembro.

Lançada em maio deste ano e com inscrições encerradas no dia 12 de setembro, a 3ª edição do Respostas para o Amanhã, promovido pela Samsung em parceria com o Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária), registrou um recorde de engajamento desde a sua criação, em 2014. Mais de 2.100 inscrições foram realizadas em 2016, envolvendo cerca de 37 mil alunos, sob a orientação de aproximadamente 2.600 professores de escolas públicas de todo o Brasil.

“A escolha dos cinco projetos vencedores nacionais, que estão cada vez mais perto do prêmio nacional, sinaliza a fase final do Respostas para o Amanhã. Todos os participantes que chegaram até aqui já podem comemorar, pois são protagonistas da escola e das comunidades em que vivem”, comenta Helvio Kanamaru, gerente sênior de Cidadania Corporativa da Samsung América Latina. “A partir de agora, inicia-se o difícil processo de avaliação e indicação do grande vencedor nacional, que será anunciado em breve”, complementa.

Para Maria Amabile Mansutti, coordenadora técnica do Cenpec, “esses projetos revelam que é possível aproximar os conteúdos curriculares da realidade dos estudantes em seu território. Isso torna o processo de ensino e aprendizagem muito mais significativo para os jovens”. Mais do que uma premiação, todos os professores e alunos tiveram acesso a conteúdos formativos sobre sustentabilidade e conhecimento científico, disponibilizados no site do prêmio.

A sustentabilidade é pauta comum a todos os projetos para melhorar as respectivas comunidades. Das temáticas mais trabalhadas, 23% das propostas envolvem resíduos sólidos e reciclagem, e 12% o cuidado com a água. Outros temas como saúde, segurança alimentar, energia, reflorestamento e desenvolvimento local também estão presentes. Na comparação com a edição de 2015, o aumento foi de 192% no número de projetos e de 270% no total de alunos participantes, assim como uma quantidade 233% maior de escolas públicas completaram os cadastros para a terceira edição do prêmio.

A Samsung conta ainda com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da Rede Latino-americana de Organizações Sociais para a Educação (Reduca), entre outros parceiros regionais e locais para dar espaço a esses projetos.

Para mais informações sobre o Prêmio e os projetos selecionados, acesse www.respostasparaoamanha.com.br.

Premiação

Os cinco vencedores nacionais serão contemplados com um notebook para a direção da escola, um para o professor responsável pelo projeto, dois notebooks e uma faixa para a escola, além de medalhas para os alunos e docentes.

Já o grande vencedor nacional receberá um notebook para cada aluno da sala, uma faixa e um troféu para a escola, e uma medalha por aluno, diretor e professor. A escola que vencer por voto popular, no site do Respostas para o Amanhã, ganhará também um troféu e uma faixa comemorativa.

Além de prêmios físicos, o principal ganho pedagógico se dá no compartilhamento de experiências entre alunos e professores.

O Respostas para o Amanhã, segundo membros da Comissão Avaliadora:

“Trabalhar com ciência e tecnologia desde a educação básica é desenvolver um potencial enorme nessas crianças e adolescentes. O prêmio traz neste ano a perspectiva da sustentabilidade, sobre a qual muito se discute, mas pouco se pratica. O adulto acaba deixando de praticá-la porque não vivenciou isso na escola, na época correta. Deve-se aproveitar os estudantes da educação básica para que trabalhem o tema na sala de aula, desenvolvendo projetos de impacto para sua comunidade e realidade escolar. A escola não deve ficar isolada, mas fazer parte da comunidade. Por meio do Respostas para o Amanhã, os estudantes puderam apresentar diversos trabalhos ligando a escola à comunidade, com soluções possíveis e viáveis ao desenvolvimento local. Os projetos estão com bastante qualidade, são originais e inovadores, cada um trabalhando com a sua realidade e condições. Há projetos desde cidades pequenas do Acre até o Sul, bem como das capitais, o que mostra que a ciência pode ser feita por todos os níveis, independentemente de onde você esteja”, Fabio Pereira de Souza – Consed

 

“É o terceiro ano que participo da comissão julgadora e é sempre um prazer. Acho muito importante acompanhar a disseminação cada vez maior do Prêmio. É muito relevante que a iniciativa esteja se configurando nas cidades médias e pequenas do país, o que mostra uma preocupação com o ensino das ciências e das questões ambientais por meio da tecnologia. Os projetos são muito interessantes e curiosos, e exaltam a preocupação com a sustentabilidade e a necessidade de serem replicados e ampliados”, Ricardo Falzetta – Todos pela Educação

 

“Prêmios como esse são importantes para fazer com que a escola saia do lugar comum. Essa provocação segundo a qual o professor tem que mobilizar a sala inteira é um grande desafio. A organização está de parabéns pela iniciativa. É muito difícil de chegar aos cinco melhores projetos e, mais ainda, ao grande vencedor nacional”, Roseli de Deus Lopes – Universidade de São Paulo

 

“O Respostas para o Amanhã é importante, dentre outros fatores, principalmente por ligar as necessidades locais a soluções científicas e pela prática dentro da sala de aula. É uma relação entre comunidade, escola e ciência que resulta em frutos vencedores para o aprendizado e o relacionamento com o entorno”, Ary Mergulhão – Unesco

 

“Os projetos do Prêmio Respostas para o Amanhã sempre despertam bastante entusiasmo. É importante notar o envolvimento dos professores e alunos motivados por uma questão da comunidade. Acho interessante que, entre os finalistas, há alunos do turno da noite, jovens adultos, representantes de pequenas cidades do interior e escolas que, inclusive, não estão localizadas nem mesmo na sede do município. Isso mostra que o prêmio realmente está chegando não apenas a locais com condições mais privilegiadas, seja pela região geográfica do país ou pelo nível socioeconômico dos alunos, mas também em cidades pequenas, até mesmo em comunidades rurais. Trata-se de um objetivo que a gente tem e que está sendo alcançado. Para esses jovens poderem pensar, detectar um problema da comunidade e resolvê-lo, é fundamental que esse protagonismo seja desenvolvido”, Ana Helena Alterfelder – Cenpec

 

“É a primeira vez que participo do Prêmio Respostas para o Amanhã e estou com uma excelente impressão. São iniciativas como essa que motivam e trazem inspiração para continuarmos. Aquela visão de que precisamos de muito para fazer mais, na verdade, não é tão realista. Você vê bons projetos que saem do esforço do professor, dos alunos, da direção da escola, do compromisso pessoal assumido por eles e que alcançam resultados magníficos. Os projetos e o programa em si demonstram que estamos preparados para superar as adversidades, mesmo que não existam as condições suficientes. Diante do cenário em que vivemos hoje, é mais um reforço de que devemos continuar realizando, independentemente de qualquer circunstância”, Leonardo Serikawa – OEI

 

“Esse programa é destinado a alunos do ensino médio, o que é um diferencial pela faixa etária e também pela formação específica dos professores. É importante dar visibilidade ao segundo grau, principalmente pela questão de integração entre temas que são curriculares, ultrapassando a barreira entre escola e comunidade. É muito interessante trazer o conhecimento da comunidade para ser tematizado e problematizado dentro da sala de aula e voltar à comunidade com outro olhar e outra contribuição”, Luciana Hubner – Fundação Victor Civita

 

“Esse é o terceiro ano em que participo. Tenho acompanhado a grande evolução e os resultados conquistados da primeira edição para esta, tanto na qualidade dos projetos apresentados quanto no trabalho realizado pela Samsung, juntamente com o Cenpec. A contribuição do Respostas para o Amanhã para a iniciação científica e o ensino médio está se revelando de grande valia, com muita importância para o surgimento de ideias e o envolvimento dos estudantes durante o andamento do Prêmio”, Verônica Cardozo – Ministério da Educação

 

Compartilhar:

Deixe um comentário

You must be logged in to post a comment.

/* ]]> */