Veja: Acesso à escola de tempo integral no ensino médio é desigual, diz pesquisa

Veja: Acesso à escola de tempo integral no ensino médio é desigual, diz pesquisa

VEJA

Estudo preliminar divulgado na última quarta-feira (2) pelo Centro de Pesquisas e Estudos em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) mostra que o acesso à escola em tempo integral no ensino médio brasileiro é desigual. Os alunos com melhor situação socioeconômica estão nas escolas de ensino integral ou diurnas. A população mais pobre frequenta o ensino regular noturno. O resultado obtido leva em consideração o Censo Escolar 2014, o Indicador de Nível Socioeconômico das Escolas de Educação Básica de 2011 a 2013 (INSE) e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

LEIA TAMBÉM:

56,7% dos jovens brasileiros terminam o ensino médio na idade adequada

Brasil é um dos dez piores em rendimento escolar, aponta ranking internacional

A pesquisa foi realizada em quatro estados, São Paulo, Pernambuco, Ceará e Goiás, com indicadores educacionais superiores à médica nacional e algumas ações que têm chamado a atenção de educadores, como a ampliação das matrículas em tempo integral e o monitoramento dos processos pedagógicos. Foram selecionadas 24 escolas, escolhidas a partir de critérios como vulnerabilidade social, taxa de moradores da zona rural e tamanho das cidades. A diferença entre os estados também é grande: Pernambuco tinha 34,76% de estudantes da rede estadual em tempo integral, Ceará vem em segundo lugar com 12,43%, São Paulo, 2,95% e Goiás com 2,17%.

Em entrevista ao site de VEJA, o coordenador de pesquisas do Cenpec, Antônio Batista, diz que desigualdade começa na qualidade de educação oferecida nas escolas: “A escola de tempo integral oferece uma educação muito melhor e infelizmente, a escola de tempo regular não recebe o mesmo.” Além da estrutura oferecida pelas instituições, os atributos acadêmicos também contribuem para a disparidade. Apenas 1,97% dos profissionais de São Paulo de escolas de tempo não integral, por exemplo, têm ensino superior completo e pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), e em locais de ensino de tempo integral a porcentagem é de 4,98%.

Relação dos jovens com a escola – Também foi realizada uma entrevista com 669 estudantes do ensino médio. Para os alunos de regiões vulneráveis, a escola é um espaço de sociabilidade e quase um terço dos entrevistados do período noturno, afirmaram que se pudessem escolher, mudariam de escola. Aqueles que estudam no período integral, a reputação da escola é o principal motivo da escolha da instituição. Os alunos que frequentam a escola à noite optam por locais de ensino que ficam perto de casa e por ser a única do bairro ou munícipio.

O Cenpec foi criado em 1987 é uma organização sem fins lucrativos. Seu objetivo é desenvolver projetos, pesquisas e metodologias, visando à melhoria da qualidade da educação pública. O resultado completo da pesquisa será publicado em junho deste ano.

Compartilhar:

Deixe um comentário

You must be logged in to post a comment.